Especial #FIQUEEMCASA | 10 séries, filmes e documentários que abordam questões raciais

10.06.20 | Vídeos


 

Blackface, colorismo, segregação, racismo reverso, racismo estrutural, racismo institucional, feminismo negro, a solidão da mulher negra, antirracismo. Estas são algumas das palavras mais recorrentes neste período, mas a verdade é que já devíamos estar abordando esses temas há muito mais tempo. Em tempos de isolamento, aproveite para se inteirar dos assuntos que a militância negra aborda muito antes do movimento Black Lives Matter, afinal, informação é uma das principais armas para que uma mudança significativa nas estruturas sociais seja realizada. Para que você comece a se aprofundar no tema, selecionamos dez séries, filmes e documentários que exploram as questões raciais nas suas mais diversas nuances.

 

Olhos que Condenam

 

 

A minissérie aborda a historia real de cinco jovens do Harlem que são injustamente condenados pelo estupro e espancamento de uma jovem mulher branca em Nova York no anos 80. O programa mostra como esses jovens foram considerados culpados desde o inicio das investigações, que contou com uma série de abusos físicos e psicológicos, provas forjadas e depoimentos manipulados que culminaram na prisão do grupo.

 

Crooklyn

 

 

Toda obra do cineasta americano Spike Lee é obrigatória quando tratamos de questões raciais. Neste filme sensível, o diretor se volta para a sua própria infância em um bairro do Brooklyn e mostra de maneira lírica o cotidiano de uma família negra nos anos 70. Os longos diálogos que são mostrados neste (e em todos os filmes de Lee) são verdadeiras aulas sobre o tema.

 

Say Her Name

 

 

O documentário gira em torno da história da ativista Sandra Blend, que foi encontrada morta em sua cela após ter sido injustamente abordada e presa por uma ocorrência de trânsito. O programa mostra o racismo institucional da polícia americana, os abusos e a injustiça sofridos por Blend e sua misteriosa morte que foi considerada suicídio, mas que ainda é questionada por familiares e ativistas.

 

O Ódio que Você Semeia

 

 

O filme conta a história da jovem Starr, que apesar de residir em um bairro periférico, estuda em uma escola particular e predominantemente branca. O racismo incialmente sutil vivido diariamente por Starr e a morte injusta de um amigo pelas mãos de um policial branco despertam a jovem para as questões segregacionistas e a conduzem para um ativismo mais intenso.

 

Ó Paí, Ó

 

 

O filme protagonizado por Lázaro Ramos mostra de maneira quase cômica o dia a dia dos moradores de um cortiço em Salvador. O filme trata de diversas questões ligadas ao racismo e à pobreza e expõe a violência contra jovens negros. O discurso inflamado que o personagem de Lázaro faz sobre racismo em meio a uma discussão é um soco no estômago.

 

Selma

 

 

O filme é baseado nas marchas de Selma a Montgomery lideradas por Martin Luther King Jr. que ocorreram em 1965 e que buscavam garantir o direito de voto para todos os afro-americanos. A película aborda todas as tensões vividas pelo personagem principal a medida em que seu nome foi ganhando protagonismo e como suas lutas geraram resultados para tornar a vida da comunidade negra um pouco mais igualitária.

 

Corra!

 

 

Apesar de ser considerado um filme de terror, Corra! explora a questão do racismo velado e a objetificação e apagamento de homens e mulheres negros. O relacionamento de um jovem negro com uma garota branca e de família abastada é colocado em xeque através de diálogos e atitudes que beiram o surreal, mas que, infelizmente, sabemos que são comuns. O filme conta com diversos códigos sutis para abordar a questão racial e que valem uma busca aprofundada.

 

What Happened, Miss Simone?

 

 

O documentário retrata de maneira honesta a vida da cantora e ativista Nina Simone. Através de depoimentos e cenas raras, testemunhamos a vida turbulenta da cantora, que tentava alinhar sua carreira com seu engajamento pelos direitos civis. Uma mulher brilhante e de personalidade forte que ainda têm muito a nos ensinar.

 

Cara Gente Branca

 

 

Após uma festa universitária onde se pratica o blackface, Sam White (Logan Browning), através de seu programa de rádio que dá nome à série, fala de maneira franca sobre os problemas raciais vividos por um grupo de jovens negros no cotidiano de um ambiente universitário majoritariamente branco. O programa vai além do racismo e trata sobre a solidão da mulher negra, apropriação cultural, o mito do racismo reverso, colorismo etc.

 

Loving

 

 

No estado da Virgínia nos anos 50, o casamento inter-racial não é só proibido como passível de punição severa. O filme conta a história verídica de Richard e Mildred Loving, que enfrentam as leis segregacionistas da época para manterem seu casamento.

deixe seu comentário



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *