COGUMELOS – comunidade, nutrição e sustentabilidade

19.01.22 | Get Inspired By Moda Tendências


 

Esses fantásticos organismos do Reino Fungi são, há milhares de anos, usados pelos homens para alimentação, fins medicinais ou mesmo para efeitos alucinógenos. Além de todas as utilidades já conhecidas, os cogumelos agora se tornaram objeto de desejo estético e são fonte de inspiração para criações de estampas, design e até mesmo para a produção de matéria-prima derivada do micélio – as ramificações que nutrem o fungo – que já foi usada pela estilista Stella McCartney para fabricação de bolsas em sua coleção da temporada spring 22. Mas muito mais do que fins visuais, a alta dos cogumelos da indústria demonstra um apreço pela unicidade. Afinal, cogumelos crescem em comunidades e surgem em condições muitas vezes brutais e improváveis. Pensando nisso, é inevitável fazer a ligação com o nosso atual período e com o que desejamos em termos de evolução humana em um cenário caótico como o que estamos vivendo agora. Senso de comunidade e crescimento a partir de condições desafiadoras. A sustentabilidade, outrossim, é um tópico urgente, necessário e cada vez mais levado em conta tanto na hora de se fazer uma coleção, como no momento do consumo. Justamente por isso é que o uso da tecnologia têxtil para a produção de materiais sustentáveis feitos a partir de fungos, cascas de frutas e subprodutos da indústria do vinho, por exemplo, estão se tornando cada vez mais uma fonte viável para o meio ambiente e economicamente competitiva em relação à matéria-prima animal. Pois então anote aí: cogumelos serão o hype de 2022, seja como alternativa sustentável de produção ou simplesmente para finalidades estéticas que carregam significado de coletividade e evolução.

 





rainbow AESTHETIC

12.01.22 | Get Inspired By Moda


 

Todo ano o Pinterest, uma das nossas redes sociais favoritas, disponibiliza o Pinterest Predicts, um relatório das tendências futuras de acordo com as buscas dos usuários. Um desses movimentos mostra justamente uma estética que se relaciona muito com o atual momento que estamos passando e com o que é esperado para este ano conforme as medidas sanitárias adotadas em função da pandemia forem relaxando ainda mais. É o que nós chamamos de Rainbow Aesthetic, ou seja, roupas e acessórios compostos de tons solares e padronagens vibrantes que sugerem atitudes mais otimistas em relação ao futuro, além da alegria do retorno do ato de “vestir para sair”. São as cores, basicamente, que serão pensadas como base estética para construção de um visual e não o design da peça propriamente dito. Este movimento, inclusive, já pôde ser notado nos desfiles da temporada spring 22 em marcas como Versace, Tom Ford, Blumarine, Saint Laurent e muitas outras.

 

 

Na televisão, séries e filmes que têm o figurino como parte crucial do enredo também já adotaram essa estética mais superlativa no que diz respeito às cores. Vide a segunda temporada de Emily in Paris e And Just Like That, onde o retorno de Carrie Bradshaw veio marcado por um visual ainda mais elaborado, dramático e colorido.

 

 

O movimento é amplo e pode ser inserido em nosso visual por diversas maneiras – estampas marcantes (sejam as clássicas, abstratas ou artsy, o importante é que sejam compostas de cores mais puras), color block, padronagens de arco-íris, looks monocromáticos em tons eletrizantes ou mesmo nos pontos focais trabalhados apenas nos acessórios. 2022 certamente será mais colorido.

 

pre-fall 22 | RELAXY

05.01.22 | Moda Semanas de Moda Tendências


 

Nas apresentações que ocorreram durante a pandemia vimos a moda acompanhar o espírito do tempo através de uma silhueta escondida e protegida pelos volumes dramáticos, pelos comprimentos ampliados e pelo design que deixava muito pouco para a imaginação justamente por conta dessas características. O momento, afinal, era de recolhimento até por uma questão de preservação da saúde. Já nos desfiles que seguiram o período pós (mas nem tanto) –pandêmico, testemunhamos a revisitação de uma linguagem extremamente sensual, muitas vezes ignorada e até repudiada pela moda. Na temporada spring 22, presenciamos os recortes extremos, os comprimentos reduzidos, a pele à mostra sem qualquer sombra de modéstia e a tão esperada libertação do corpo através da sensualidade pura. De acordo com as apresentações da temporada pre-fall 2022, no entanto, essa sensualidade sofre uma atualização e encontra um meio termo entre aquela estética relaxada e escondida do cenário pandêmico e o visual sexy elevado à máxima potência explorado na temporada passada.

 

 

É o movimento que chamamos de RELAXY. O visual pontuado por características sedutoras (recortes, transparência, comprimentos diminutos, cores densas, texturas chamativas etc.) se une a um design mais relaxado e despretensioso, formando um novo conceito de sensualidade longe da ideia de restringir justamente porque mostra demais.

 

 

A premissa aqui é manifestar o corpo de maneira que não haja limitação por receio da revelação exagerada. Ainda que as características mais marcantes do estilo sensual estejam presentes, elas são neutralizadas pelas modelagens amplificadas, pelo styling casual, pelos acessórios confortáveis e pelas texturas que são reveladoras na medida.

 

2022 chegou – o que esperamos da moda daqui para frente

03.01.22 | Get Inspired By Lifestyle


 

A cada ano pensamos em resoluções, objetivos e tarefas para alcançarmos, quase sempre de maneira muito pessoal. Mas em tempos em que diversos eventos nos atingem como um todo, nos obrigando a pensar e agir em prol da coletividade, nossas resoluções, objetivos e tarefas que se renovam todo o dia 01/01 também deveriam ser projetados no âmbito social. Tendo isso em mente, um dos nossos principais desejos para 2022 é que a moda, de fato, se torne um lugar de transformação e locomoção social através do reconhecimento justo, urgente e genuíno de talentos verdadeiros e plurais, de origens plurais. Estamos falando especificadamente da moda por ser nosso principal instrumento de trabalho, por vivermos suas diversas ramificações todos os dias. E quanto mais analisamos e falamos sobre moda, mais percebemos a necessidade de se ocorrer essa revolução. Testemunhamos, sim, algumas evoluções nesse campo, especialmente na última edição da SPFW, muito mais democrática e diversa. Mas ainda caminhamos a passos infantis nessa mudança. Quantos talentos são ignorados e anulados por conta da prática ultrapassada (e tóxica) de diversos veículos darem preferência a nomes (e sobrenomes) que já fazem parte de uma estrutura dominante a fim de que essa bolha permaneça fechada em detrimento de profissionais realmente sérios e detentores de conteúdos e bagagens relevantes que poderiam contribuir de maneira exponencial para o crescimento e amadurecimento da moda brasileira? O que nós desejemos, é que haja um compromisso sério entre a moda e a diversidade. Colocar uma modelo negra e uma pessoa gorda para a imagem de uma campanha não configura comprometimento com uma moda mais diversa. Nós queremos que essas pessoas e tantas outras que fogem da estética branca/sudestina/nomes-compostos-importantes ocupem cargos de liderança dentro da indústria e que ganhem destaque além de uma imagem esporádica. Nós queremos que pequenos produtores, artesãos e artistas não sejam surpreendidos ao verem seus trabalhos descaradamente usurpados por grandes nomes sem qualquer crédito ou o justo redirecionamento do lucro. Nós queremos não só corpos e cores diversos, mas queremos vozes diversas também. E que essas vozes sejam altas e reverberem e gerem impacto. Em um mundo onde eventos tão grandiosos atingem a humanidade de forma tão desafiadora, ainda que cada um viva suas experiências subjetivamente, é urgente que a moda comece a trabalhar em favor do coletivo. Nós desejamos que o “viver de moda” seja uma realidade para esses profissionais. Que eles ganhem de maneira justa por seus trabalhos, que as marcas já consagradas no mercado esqueçam do “pagamento” através de permutas ou simples menções, e de fato se envergonhem de um dia terem exercido tal prática. Ética, remuneração justa, ambientes de trabalho saudáveis e plurais. Será pedir muito?

Relatório OUTONO/INVERNO 22 | Tops • Suéter de Inspiração Nórdica

29.12.21 | Moda Tendências


 

Para encerrar nosso relatório das principais peças da temporada outono/inverno 2022 notamos o ressurgimento de um item clássico, mas considerado por muitos tradicional demais para composição de um visual mais contemporâneo. São os suéteres com estampas de inspiração nórdica, muito utilizados nas comemorações de Natal no hemisfério norte e, justamente por isso, marcados como um item que não proporciona riqueza em termos de estilo. Diversas coleções da temporada fall 21, no entanto, revisitaram a peça com um olhar atualizado e conseguiram agregar valor estético ao suéter ao combiná-lo com itens contemporâneos e sofisticados, como calças volumosas e de aspecto utilitário, saias modernas, calçados urbanos e com outros materiais densos que tornam o visual mais dramático. Nós já falamos diversas vezes aqui que exercer novos olhares para peças tradicionais é na verdade uma maneira de atualizar suas composições visuais, além de se encaixar como uma forma sustentável de consumo, já que provavelmente esses itens podem ser encontrados em nossos armários.

 

Relatório OUTONO/INVERNO 22 | bottoms • Saia Midi Plissada

27.12.21 | Moda Tendências


 

A saia midi de textura plissada teve seu auge há alguns anos, mas a verdade é que o comprimento já se tornou um clássico do armário feminino para ser usado em qualquer estação. Especialmente os modelos plissados costumam ser associados ao estilo feminino, que sugere maior romantismo e delicadeza visual. Mas os modelos da próxima estação ganharam características muito mais sofisticadas e urbanas que se enquadram em qualquer estilo pessoal. Obviamente temos as opções mais suaves, de cores claras, movimentos fluídos e composições mais ligadas à feminilidade, mas grande parte das marcas que explorou a peça optou por trazer um aspecto mais denso à saia através de materiais mais robustos (texturas metalizadas, couro, lã etc), tons profundos e combinações com outros itens mais contemporâneos, como botas, blazers e demais peças em alfaiataria, parkas, camisas bordadas, acessórios marcantes etc.

 

Relatório OUTONO/INVERNO 22 | bottoms • Slouchy Jeans

22.12.21 | Moda Tendências


 

Nós já falamos por aqui sobre os modelos de calça jeans que fizeram a skinny ser temporariamente deposta de seu reinado e se depender das apresentações que indicam os movimentos para a nossa próxima temporada outono/inverno 2022 ela ainda não dá pistas de retorno. As calças jeans da próxima estação continuarão seguindo uma estética mais solta e de acabamento que sugere uma certa rusticidade, seja pela lavagem do tecido ou por suas intervenções. Portanto, se você aderiu ao movimento dos jeans menos ajustados, saiba que eles ainda farão parte das suas produções por mais algum tempo. A vantagem dessas peças é que elas deixam o resultado final cool, diferenciado e, dependendo da complementação, mais sofisticado. Modelagens mais soltas em qualquer item do armário promovem uma modernização do visual e uma vez que você se acostuma com o volume, dificilmente vai querer abrir mão deste combo que une conforto e estilo.

 

Relatório OUTONO/INVERNO 22 | peças de complementação • pt3

20.12.21 | Moda Tendências


 

Na terceira e última parte do nosso relatório de microtendências para o inverno 2022 focado nas peças de complementação, vamos falar sobre capas, ponchos e palas. Vimos nas apresentações da temporada fall 2021 que estes itens foram bastante explorados como alternativa de terceiro elemento para o visual e sua revisitação tem muito a ver com o atual momento, que pede uma certa proteção do corpo, seja com distanciamento, seja através da vestimenta que acolhe e esconde. Essas peças, especialmente as de características artesanais, também sugerem a familiaridade e a segurança do lar, já que lembram mantas e cobertores que são usados dentro das nossas casas. Mas nestas coleções nem sempre o lado mais artesanal e orgânico que deu o tom destes itens. Materiais nobres e densos, como o couro e a camurça, também apareceram e conferem um aspecto mais sofisticado às peças. Um lado mais utilitário e esportivo também foi explorado para que o caráter regional que esses elementos podem carregar seja equilibrado.

 

Relatório OUTONO/INVERNO 22 | peças de complementação • pt2

08.12.21 | Moda Tendências


 

As peças de complementação são indispensáveis para o visual de inverno e é justamente por isso que começamos nosso relatório dos itens-chave da próxima estação por elas. E de acordo com as apresentações da temporada fall 21 o clima é de proteção. No reporte anterior falamos sobre os casacos volumosos de aspecto rústico e com textura de pelos, que além de garantirem o conforto térmico também são eficientes em proteger o corpo do toque (um grande movimento em decorrência do cenário pandêmico). E essa atmosfera se replica nas peças da matéria de hoje. As puffer jackets sempre dão as caras nas estações mais frias, mas a versão do inverno 2022 é carregada de dramaticidade e sugere ainda mais acolhimento e segurança pelas formas amplas e as texturas volumosas. Outro diferencial fica por conta do comprimento. Jaquetas desse estilo geralmente são mais curtas, mas diversas marcas apostaram em uma versão mais longa da peça, o que torna sua estética ainda mais marcante. Outra característica para a atualização da puffer é equilibrar seu caráter utilitário e casual por meio de combinações mais nobres e pensadas, unindo conforto e informação de moda.

 

Relatório OUTONO/INVERNO 22 | peças de complementação • pt1

02.12.21 | Moda Tendências


 

É bem verdade que estamos entrando no verão e colocando nossas roupas mais frescas para fora do armário, mas como aqui nós trabalhamos com o futuro, começamos hoje uma série especial dos itens-chave da temporada outono/inverno 2022. De início, vamos focar nos itens de complementação, que são essenciais para os dias de temperaturas mais frias. Nesta primeira fase o ponto central são casacos, jaquetas, sobretudos, coletes e demais peças que vão finalizar a sua produção de inverno e garantir, além do conforto térmico, o toque estético do visual. Quando fizemos um apanhado dos movimentos detectados nos desfiles da temporada fall 21 apresentados no começo deste ano verificamos que de um modo geral as vibrações eram de um inverno rigoroso, quase que como uma nova era do gelo (para rever clique aqui) e esse movimento se traduziu em casacos pesados e volumosos confeccionados em pelo (sintético, obviamente) com linguagem rústica e densa que nos remete às vestimentas dos primórdios da humanidade. São casacos que também nos lembram aqueles encontrados em ambientes alternativos de consumo, como feiras e brechós, dado seu aspecto vintage. Essas são peças de complementação com características de protagonismo, podendo, inclusive, serem usadas sozinhas (vide Petar Petrov e Burberry) ou com base neutra e mais delicada para equilibrar o peso.