PFW S/S/ 22 – os conceitos dos desfiles que encerraram a semana de moda de paris | pt.2

14.10.21 | Look da Paula Moda Semanas de Moda


 

Mais uma temporada encerrada e aqui também finalizamos as análises iniciais sobre os movimentos, os conceitos e as estéticas que cercaram as apresentações de NY, Londres, Milão e Paris. Muita coisa mudou após o período turbulento que enfrentamos (e ainda estamos enfrentando)? As temporadas passadas que se deram no meio do período crítico da pandemia nos indicaram que sim, que a moda sofreria alterações significativas a fim de se tornar algo mais perto da inclusão, da ideia democrática, da sustentabilidade, da responsabilidade social e emocional e mais longe do papel elitista e opressor em diversos sentidos. Mas esta temporada nos mostrou que a moda ainda está um pouco longe de cumprir com efetividade a sua função social. No direito, o princípio da função social abrange não somente os interesses privados, mas também coletivos e garante que as relações jurídicas cumpram certas regras a fim de prevaleça o bem comum e a redução nas desigualdades sociais. Muito progresso já foi realizado, mas parece que nesta temporada voltamos algumas casas no jogo da vida. Moda também é sonho, escapismo, beleza, mas não pode ser só isso. Ao menos não no sentido estrito destes conceitos. Movimentos que enaltecem os corpos através da sensualidade pura com certeza foram os grandes destaques desta temporada, e do ponto de vista da liberdade feminina, especialmente em tempos onde a nuvem carregada do conservadorismo hipócrita paira sobre o mundo, são mais do que bem-vindos. Mas enaltecer este movimento através de um único padrão magro – esquelético em alguns casos – e previsível, como foi o caso de inúmeras marcas, ainda parece muito distante da mudança ideal que esperávamos que essa pandemia faria acontecer. Desfiles longos e com dezenas de looks também voltaram com força e certamente batem de frente com ideais sustentáveis de consumo. Afinal, precisamos de mais? É certo que a roda da economia precisa voltar a girar, mas insistir em um modelo antiquado de coleções intermináveis e silhuetas padronizadas é um meio eficaz de fazer isso acontecer? Deixamos aqui algumas reflexões sobre como poderíamos, de fato, tornar essas indústria um pouco mais relevante do ponto de vista do cumprimento da função social e abaixo você encontra outras reflexões a respeito dos movimentos propriamente ditos. Moda, afinal, também possui esse viés encantador de representar visualmente um período, de nos fazer pensar a respeito do que foi proposto por um designer através de imagens e de conceitos e de, sim, nos enriquecer culturalmente quando buscamos esses conceitos mais a fundo. A moda não é a vilã, e sim o que fazemos dela.

 

PFW S/S 22 – os conceitos dos desfiles que encerraram a semana de moda de paris | pt. 1

07.10.21 | Moda Semanas de Moda


 

A semana de moda de Paris é uma das mais ricas no sentido de criação de conteúdo. Muitos desfiles importantes de marcas consagradas e apresentações de nomes emergentes fazem deste circuito uma verdadeira fonte de captação de movimentos significativos que servirão de norte para o mercado. Sobre os desfiles que encerraram a semana de moda parisiense, dividimos nossas análises em duas partes para que o conteúdo seja absorvido com mais reflexão e também porque são nos últimos dias que marcas grandiosas costumam se apresentar, trazendo ainda mais informação para o nosso material.

 

PFW S/S 22 – os movimentos dos primeiros desfiles da semana de moda de paris

30.09.21 | Moda Semanas de Moda


 

A semana de moda de Paris começou e já nos trouxe diversas nuances dos movimentos que estão por vir. Até agora (e pelo que também observamos nos desfiles das outras cidades), os anos 80 serão uma das principais referências de estilo, junto com os Y2K e a década de 60, que deu as caras em visuais muito literais de algumas apresentações. Além disso, a sensualidade ligada à libertação do corpo após tantas constrições se consagra como um estilo a ser explorado em seu extremo, sem qualquer pudor. No mais, um sentimento coletivo de renovação através de uma imagem apocalíptica imprime a clara mensagem de que o mundo não é o mesmo e a mudança se manifesta por meio de intervenções potentes que transmitem a energia do renascimento.

 

MFW S/S 22 – a segunda parte dos movimentos de moda da fashion week de milão

29.09.21 | Moda Semanas de Moda


 

Na segunda parte dos movimentos de moda identificados na fashion week de Milão, tivemos alguns desdobramentos que já tínhamos observado no circuito de outras cidades e mais alguns inéditos, mas que estão em consonância com as narrativas estéticas relatadas para nossa fase pós-pandêmica. O clima geral é de descontração, projeções de um futuro mais otimista e maleabilidade através de texturas que imitam o dinamismo da água, mas também de questionamentos sociais e políticos através do uso das cores ou de códigos de feminilidade unidos ao que é considerado subversivo.

 

LFW S/S 22 – os principais movimentos que identificamos na semana de moda de londres

23.09.21 | Moda Semanas de Moda


 

A semana de moda de Londres terminou há pouco e nos forneceu movimentos interessantes para a próxima temporada primavera/verão. Os designers que se apresentaram neste circuito foram categóricos na mensagem do resgate da sensualidade em suas mais variadas vertentes. O estilo foi explorado através do toque sedutor das plumas, da eletricidade do pink, das texturas metalizadas, das referências de subcultura, na estética esportiva e também de maneira dramática, com todas suas principais características colocadas em uma única composição. Outra narrativa bastante utilizada foi a da revisitação do começo dos anos 2000 – o que já vinha sendo observado como uma das buscas mais crescentes nas redes sociais se concretiza para dominar o varejo.

 

NYFW S/S 22 – a segunda parte dos desfiles da semana de moda nova-iorquina

22.09.21 | Moda Semanas de Moda


 

Na segunda parte do resumo dos desfiles da fashion week nova-iorquina notamos alguns movimentos que podem ser vistos como uma extensão daqueles mencionados na primeira parte e outros que se confirmaram das semanas de moda ocorridas na escandinávia. Fato é que desde o começo da nossa realidade pandêmica, duas macro-tendências parecem se confirmar a cada temporada: o maximalismo e o minimalismo. O primeiro pautado pela ideia da informação de moda extrema e o segundo que prioriza o conforto e a modéstia parecem ser o norte de diversos outros micro-movimentos que conseguimos detectar nas apresentações até agora.

 

Scandinavian street style s/s 22 – LET’S CELEBRATE!

02.09.21 | Get Inspired By Street Style


 

Se olharmos para as imagens do street style das semanas de moda de Estocolmo, Copenhague e Oslo em um período pré-pandêmico conseguimos notar uma diferença abismal das fotos desta temporada (a primeira com desfiles presenciais em mais de um ano). Se antes o estilo das escandinavas inspirava pelo minimalismo aliado a um design arrojado, pelos tons terrosos pálidos, pelas novas perspectivas sobre peças tradicionais, pelo styling repleto de referências distintas unidas de forma harmônica, pela simplicidade sofisticada e pela ausência de limitações no que se refere às colaborações entre os armários feminino e masculino, desta vez entram em cena as cores vibrantes, a estamparia festiva, a riqueza de detalhes, o exagero pensado nos acessórios, uma mistura ainda mais ampla de referências, as peças statement ou looks completos statement, o artesanal efusivo e um design ainda mais diferenciado. Estética elaborada para chamar a atenção.

 


 

Nós já temos falado há algum tempo sobre este movimento que une a alegria de voltar a sair com a vontade de voltarmos a nos arrumar. Ele foi observado desde as temporadas spring 21 RTW e resort 22 e se firmou no street style da semana de alta-costura parisiense. Tivemos, afinal, bastante tempo durante o isolamento social para rever nossos armários, pensar em composições diferentes e até comprar itens novos. Esse exercício forçado usado como uma maneira de fazer o tempo passar pode ter aprimorado nosso senso de estilo e a vontade de ousar mais em termos estéticos é natural. Justamente por isso é que mulheres que já possuem uma noção de moda muito elevada, como acontece com as comunicadoras escandinavas, inovam ainda mais quando encontram mais tempo com seus closets e desenvolvem uma adaptação visual ajustada ao espírito do tempo com maior intensidade.

 


COPENHAGEN spring 22 trend report pt. II

26.08.21 | Moda Semanas de Moda Tendências


 

Na segunda parte das nossas análises das apresentações da semana de moda dinamarquesa vimos que a sensualidade se fez presente nos detalhes para equilibrar movimentos de referências mais urbanas ou delicadas, que a ressignificação de roupas e acessórios cada vez será mais presente em prol de atitudes de consumo e de criação mais sustentáveis, que olhares amplificados podem fazer surgir novas propostas e que a criatividade pode ser exercida mesmo nas inspirações mais tradicionais. Confira a segunda e última parte das nossas observações sobre os movimentos de moda da Copenhagen fashion week:

 

COPENHAGEN spring 22 trend report pt. I

24.08.21 | Moda Semanas de Moda Tendências


 

Quem acompanha o blog há um tempo sabe que nós temos um apreço especial pelas semanas de moda escandinavas. Isso porque, além de ser recomendado – tanto para quem trabalha nesta área como para quem gosta – analisar as fashion weeks que ocorrem fora do circuito tradicional NY-Londres-Milão-Paris, as apresentações dessas regiões são cheias de referências criativas e inspiram tanto pela audácia, quanto pela beleza (especialmente pelas novas propostas do que entendemos por belo). A semana de moda de Copenhagen da temporada spring 22 aconteceu neste mês e já montamos um report dos principais movimentos que observamos por lá, dividido em duas partes. Confira:

 

a.camisa + araras | confira a nova coleção

12.08.21 | Get Inspired By Lifestyle Look da Paula


 

Quem conhece a marca a.camisa da Paula sabe que as peças não seguem um calendário fixo de lançamento. Isso porque a a.camisa é baseada no princípio do slow fashion, que preza pela qualidade, exclusividade e principalmente pela experiência do cliente. Exemplo disso são as parcerias que já foram firmadas entre a marca e diversos nomes importantes tanto do mercado da moda quanto das artes, o que torna as peças ainda mais especiais. Então quando a a.camisa foi convidada para participar de um projeto tão único quanto o da loja Araras, a Paula sentiu que era o momento de uma nova coleção. A Araras é uma multimarcas excepcional que possui uma curadoria ímpar de produtos interessantíssimos, que vão desde roupas e calçados até objetos de decoração.

 

 

E para alinhar o storytelling da a.camisa com o manifesto da Araras, a Paula criou quatro modelos de camisa inspirados pela alfaitaria masculina e pela sofisticação atemporal deste universo. Os detalhes encontrados em cada uma das peças exploram essa atmosfera masculinizada, porém suave. São nervuras, golas estruturadas, modelagens levemente desprendidas, ombros delicadamente pontuados e estamparia clássica. Apesar dessas referências mais tradicionais, as camisas são pensadas para uma mulher contemporânea, que preza pelo conforto, mas não abre mão de deixar clara sua identidade através do estilo.

 

 

Todos os quatro modelos a.camisa já podem ser encontrados na Araras, que fica no primeiro piso do Shopping JK Iguatemi. Vale muito a pena conhecer esse universo Araras e todos os itens cuidadosamente escolhidos pelo competente time da loja.

 


 

 

Lembrando que estes modelos são encontrados somente na Araras, mas você pode conhecer as outras peças através da nossa loja virtual
 
Araras
Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041, piso I