25 Filmes para entender a estética dos ANOS 70

23.07.20 | Vídeos


 

Nós pensamos que os filmes, além de ser uma ótima forma de entretenimento, são fontes importantes para que possamos entender parte do espírito de um período. Nós já demos sugestões sobre filmes dos anos 80 e 90 (que você pode ver aqui e aqui) e agora mostramos nossa seleção de películas que retratam bem como era a atmosfera dos anos 70. Muito mais do que estilo, queremos que você perceba todo o mood da época, como cabelo, make, músicas, decoração, cenários políticos, sociais e culturais etc. A estética setentista ainda é uma das mais lembradas quando pensamos em moda e ela vai muito além das roupas típicas do movimento disco ou mesmo do hippie. Na nossa lista temos, claro, os clássicos indispensáveis, os grandes sucessos da época, alguns filmes cult menos conhecidos do grande público, musicais, cinema europeu e brasileiro (grande parte do cinema de vanguarda nacional está nos anos 70 e 80) e filmes que são atuais mas que retratam fielmente o período.

 

American Hustle, 2013

 

 

Saturday Night Fever, 1977

 

 

A Star Is Born, 1976

 

 

The Rocky Horror Picture Show, 1975

 

 

Taxi Driver, 1976

 

 

Love Story, 1970

 

 

Annie Hall, 1977

 

 

Klute – O Passado Condena, 1971

 

 

Almost Famous, 2000

 

 

The Runaways, 2010

 

 

The Discreet Charm of the Bourgeoisie, 1972

 

 

The Way We Were, 1973

 

 

For Pete’s Sake, 1974

 

 

The Stepford Wives, 1975

 

 

Freaky Friday, 1977

 

 

Foul Play, 1978

 

 

Manhattan, 1979

 

 

A Lira do Delírio, 1978

 

 

Nous ne vieillirons pas ensemble, 1972

 

 

3 Women, 1977

 

 

ALL THAT JAZZ, 1979

 

 

Day for Night, 1973

 

 

Bitter Tears of Petra Von Kant, 1972

 

 

Nashville, 1975

 

 

Vício Inerente, 2014

 

Fall 2020 COUTURE | O espetáculo da Valentino

22.07.20 | Moda Semanas de Moda Vídeos


 

Passada a temporada de alta-costura em Paris, Pierpaolo Piccioli nos presenteou com a coleção couture da Valentino que foi apresentada ontem, em Roma. Denominada “The Performance: of Grace and Light, a dialogue between Pierpaolo Piccioli and Nick Knight”, as 17 criações do estilista para a Maison parecem ter saído de um sonho. Na ausência de desfiles, Piccioli firmou parceria com Nick Knight, um dos fotógrafos mais reconhecidos e importantes do mundo, cujo trabalho beira o fantástico com imagens vanguardistas e de impressão plástica que causam um efeito visual impressionantemente belo. Ambientada em uma espécie de circo, com um fundo escuro profundo e vazio que garantia ainda mais destaque para as roupas, a coleção de alta-costura da Valentino teve foco no branco e nos metalizados claros, nas texturas leves, porém luxuosas de plumas e tules e, claro, nos volumes dramáticos que já são uma assinatura do trabalho de Piccioli. Os vestidos de comprimento exageradamente alongado vinham flutuando nos corpos das modelos colocadas em trapézios, causando um resultado final ainda mais exuberante e bem condizente com a função de escapismo que as criações de alta-costura têm o poder de causar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A apresentação da alta-costura da Valentino ainda contou com uma performance transmitida ao vivo que vale a pena ser vista:

 

A alta-costura da Dior e os novos tempos

07.07.20 | Semanas de Moda Vídeos


 

Christian Dior Fall 20/21 Couture
Nesta atípica apresentação da coleção de alta-costura da Dior, a estilista italiana Maria Grazia Chiuri opotou por mostrar suas criações através de manequins em miniatura. Em meados dos anos 40, após a devastação da Segunda Guerra Mundial era assim que os grandes costureiros franceses apresentavam suas coleções, tendo em vista a escassez de matéria-prima e a recessão que diminuria significativamente o numero de clientes dispostas a pagar por uma roupa feita sob medida. Foi neste período, inclusive, que Christian Dior criou o chamado new look através de sua Bar Silhouette, que injetou novamente o glamour dos tempos pré-guerra na moda e trouxe novo fôlego de otimismo e de escapismo para o mundo que se recuperava de tamanha tragédia. Não à toa, Maria Grazia buscou reinterpretar a elegância do período inicial da maison Dior, com vestidos extremamente trabalhados, impecáveis conjuntos de materiais nobres e densos, recortes e modelagens mais conservadores e o perfume ultra feminino e sofisticado típico do final da década de 40. Além dos manequins em tamanho de boneca, a coleção foi apresentada ao mundo através de um curta-metragem de ares surrealistas intitulado Le Mythe Dior, dirigido pelo italiano Matteo Garrone. A película tem atmosfera fantástica, cheia de seres mágicos atribuídos à natureza, como ninfas, sereias, fadas e mulheres saídas de conchas. É de fantasia que precisamos agora.

 

 

 

 

 

Alta-costura democrática
Certamente esta é a temporada de alta-costura mais democrática de que se tem notícia. Por mais que existam as transmissões em tempo real feitas pela própria marca ou pelos convidados que atendem ao desfile, existe a abismal diferença entre presenciar um show dessa categoria in loco e através de uma tela. Nessa temporada, no entanto, todos tiveram o mesmo acesso às apresentações, recebendo ou não um convite personalizado. Imaginar que grandes nomes da moda estavam dentro de suas casas, escritórios e ateliês assistindo ao desfile da Dior (assim como qualquer outro desfile dessa semana) nos coloca no mesmo patamar desses espectadores, com única diferença da peculiaridade do olhar. Portanto, por mais exclusiva que seja uma semana de moda de alta-costura, dessa vez houve a rara diferenciação pela igualdade de acesso.


 

 

 

 

 

 

 

Escapismo
Em tempos de isolamento, incertezas, recessão e tristeza, qual é o papel de uma semana de alta-costura? Certamente esta é a temporada mais exclusiva do circuito fashion e ainda mais exclusiva quando pensamos que apenas uma parcela ínfima da população tem acesso de fato ao que é apresentado ali. No entanto, assim como a moda representa a realidade do tempo presente, também tem o papel lúdico da fantasia. Nossos olhos e nossos ouvidos se interessam por tudo que é belo. Isso é fato. Seja no campo das artes, da música, do cinema e, obviamente, da moda, o que consideramos belo nos proporciona uma forma de escape da realidade, por mais cruel que ela possa parecer. Assim como no período da Segunda Guerra, onde Christian Dior propôs uma nova onda de otimismo através de criações que se diferenciavam pela elegância que fora perdida na obscuridade (mesmo que estivessem fora da realidade para milhares de pessoas), as criações couture tem esse papel importantíssimo e cada vez mais necessário de nos fazer sonhar, de estabelecer uma conexão com o belo. Ignorar a importância de se ter contato com o fantástico (e aqui nós poderíamos inserir qualquer tipo de “fuga”), mesmo que isso esteja fora do nosso alcance, é se prender à monotonia do conformismo e das limitações. Se permita sonhar.

 

 

 

 

 

 

Especial #FIQUEMCASA | 25 filmes para entender a estética dos anos 80

02.07.20 | Vídeos


 

Na semana passada fizemos uma seleção de filmes com foco na moda dos anos 90 (se perdeu, clique aqui). Hoje nós vamos mostrar nossas escolhas de filmes que representam a estética dos anos 80. Muito mais do que moda propriamente dita, nossos eleitos mostram a atmosfera oitentista – seja na luz, na música, na decoração, cabelo, make, acessórios, falas, tribos, costumes etc. Também fizemos uma pesquisa mais aprofundada para uma lista mais diversa, não apenas com os blockbusters americanos e mais conhecidos da época (mas que também são importantes para a compreensão desse período), porque sair do cenário high school dos Estados Unidos é essencial para enxergar de fato toda a representação ocidental dos anos 80. Na lista você encontrará tanto os sucessos conhecidos como cults europeus que são indispensáveis para qualquer cinéfilo e que não necessariamente têm seu foco no figurino. Aproveite o tempo em casa para rever alguns clássicos e conhecer novos títulos, a partir dos quais você poderá se aprofundar ainda mais para ampliar seu repertório.

 

Footloose, 1984

 

 

Risky Business Official, 1983

 

 

Flashdance, 1983

 

 

Working Girl, 1988

 

 

Paris, Texas, 1984

 

 

Desperately Seeking Susan, 1985

 

 

Girls Just Wanna Have Fun, 1985

 

 

Pretty in Pink, 1986

 

 

Fatal Attraction, 1987

 

 

The Breakfast Club, 1985

 

 

St. Elmo’s Fire, 1985

 

 

Top Gun, 1986

 

 

Ferris Bueller’s Day Off, 1986

 

 

The Witches of Eastwick, 1987

 

 

Cocktail, 1988

 

 

Diva: Paixão Perigosa, 1981, Jean-Jacques Beineix

 

 

Asas do Desejo, 1987, Wim Wenders

 

 

Os Renegados, 1985, Agnès Varda

 

 

Scarface, 1983

 

 

Blue Velvet, 1986

 

 

Do the Right Thing, 1989

 

 

Atlantic City, 1980, Louis Malle

 

 

Betty Blue, 1986, Jean-Jacques Beineix

 

 

Le Pont du Nord, 1981, Jacques Rivette

 

 

O Raio Verde, 1986, Eric Rohmer

 

Especial #FIQUEEMCASA | 12 filmes para entender a moda dos anos 90

18.06.20 | Vídeos


 

Muitos movimentos importantes acontecem para que uma década seja caracterizada em termos de moda. Como sabemos, a moda anda ao lado de acontecimentos históricos, políticos e sociais, mudanças de comportamento, tribos, revoluções e até alterações climáticas. Certamente um dos períodos mais lembrados e revisitados pelas passarelas é a década de 90. Aqui tivemos transformações sociais importantes e movimentações culturais que viriam a influenciar a moda de maneira perpétua. Para entender um pouco desse caldeirão de tribos e referências que ocorreu nos anos 90, escolhemos doze filmes que retratam as principais mudanças estéticas que se deram na época. Temos o resquício do exagero oitentista que ainda permanecia no começo da década, passando pelo típico visual “mulheres ricas” que representava as abastadas clientes de históricas boutiques da Rodeo Drive, chegando às misturas de cores ácidas e texturas reluzentes com forte influência clubber encontradas na metade da época, ao visual minimalista e moderno que os estilistas japoneses trouxeram como resposta e, obviamente, à influência grunge – talvez a mais importante até hoje – finalizando novamente com os tons intensos, materiais brilhosos, recortes assimétricos e atmosfera futurista que a aproximação com os anos 2000 trazia. Aproveite este momento para ter uma aula sobre a moda dos anos 90 com essas películas que além de esteticamente lindas, são ótimas para passar o tempo.

 

Uma Linda Mulher (1990)

 

 

Viva! A Babá Morreu (1991)

 

 

O Guarda-Costas (1992)

 

 

Ready to Wear (1994)

 

 

Clueless (1995)

 

 

Empire Records (1995)

 

 

Jovens Bruxas (1996)

 

 

Romeo and Juliet (1996)

 

 

Romy and Michele’s High School Reunion (1997)

 

 

Um Crime Entre Amigas (1999)

 

 

10 Things I Hate About You (1999)

 

 

Nothing Hill (1999)

 

Especial #FIQUEEMCASA | Os cursos da Paula que você pode fazer em casa

11.06.20 | Cursos Lifestyle Vídeos


 

Quem acompanha o trabalho da Paula já sabe que ela atua no mercado de moda há mais de 25 anos e divide sua expertise no assunto através de palestras, workshops e cursos presenciais. Mas essa experiência também é compartilhada através de cursos à distância em formato mais enxuto, porém não menos importante para quem busca se aprofundar no tema. Com o advento da quarentena os cursos estão com condições especiais de pagamento, portanto, aproveite o momento para se atualizar, mudar de profissão, ou simplesmente agregar novos conhecimentos ao seu currículo.

 

Formação em Consultoria de Imagem com Paula Martins

 

 

O curso de formação em consultoria de imagem com Paula Martins engloba uma abordagem teórica completa sobre a profissão, fontes para que você enriqueça seu conhecimento sobre moda, os meios contemporâneos de se exercer o serviço de consultoria e preciosas lições de negócio e empreendedorismo. O curso pode ser feito por qualquer pessoa que queira atuar nesse mercado, que seja apenas curiosa sobre o assunto e também por profissionais já formados, mas que buscam atualização no mercado e um novo olhar sobre o processo de consultoria. Para acessar o curso, clique aqui

 

Cobrindo as Semanas de Moda

 

 

Já este curso produzido em parceria com o Fashion Meeting fala sobre a experiência de se cobrir as semanas de moda de maneira técnica. A Paula já frequentou inúmeras fashion weeks como jornalista e divide com a audiência como funciona esse trabalho através de uma perspectiva mais profissional e menos glamourosa. Para acessar o curso, clique aqui

Especial #FIQUEEMCASA | 10 séries, filmes e documentários que abordam questões raciais

10.06.20 | Vídeos


 

Blackface, colorismo, segregação, racismo reverso, racismo estrutural, racismo institucional, feminismo negro, a solidão da mulher negra, antirracismo. Estas são algumas das palavras mais recorrentes neste período, mas a verdade é que já devíamos estar abordando esses temas há muito mais tempo. Em tempos de isolamento, aproveite para se inteirar dos assuntos que a militância negra aborda muito antes do movimento Black Lives Matter, afinal, informação é uma das principais armas para que uma mudança significativa nas estruturas sociais seja realizada. Para que você comece a se aprofundar no tema, selecionamos dez séries, filmes e documentários que exploram as questões raciais nas suas mais diversas nuances.

 

Olhos que Condenam

 

 

A minissérie aborda a historia real de cinco jovens do Harlem que são injustamente condenados pelo estupro e espancamento de uma jovem mulher branca em Nova York no anos 80. O programa mostra como esses jovens foram considerados culpados desde o inicio das investigações, que contou com uma série de abusos físicos e psicológicos, provas forjadas e depoimentos manipulados que culminaram na prisão do grupo.

 

Crooklyn

 

 

Toda obra do cineasta americano Spike Lee é obrigatória quando tratamos de questões raciais. Neste filme sensível, o diretor se volta para a sua própria infância em um bairro do Brooklyn e mostra de maneira lírica o cotidiano de uma família negra nos anos 70. Os longos diálogos que são mostrados neste (e em todos os filmes de Lee) são verdadeiras aulas sobre o tema.

 

Say Her Name

 

 

O documentário gira em torno da história da ativista Sandra Blend, que foi encontrada morta em sua cela após ter sido injustamente abordada e presa por uma ocorrência de trânsito. O programa mostra o racismo institucional da polícia americana, os abusos e a injustiça sofridos por Blend e sua misteriosa morte que foi considerada suicídio, mas que ainda é questionada por familiares e ativistas.

 

O Ódio que Você Semeia

 

 

O filme conta a história da jovem Starr, que apesar de residir em um bairro periférico, estuda em uma escola particular e predominantemente branca. O racismo incialmente sutil vivido diariamente por Starr e a morte injusta de um amigo pelas mãos de um policial branco despertam a jovem para as questões segregacionistas e a conduzem para um ativismo mais intenso.

 

Ó Paí, Ó

 

 

O filme protagonizado por Lázaro Ramos mostra de maneira quase cômica o dia a dia dos moradores de um cortiço em Salvador. O filme trata de diversas questões ligadas ao racismo e à pobreza e expõe a violência contra jovens negros. O discurso inflamado que o personagem de Lázaro faz sobre racismo em meio a uma discussão é um soco no estômago.

 

Selma

 

 

O filme é baseado nas marchas de Selma a Montgomery lideradas por Martin Luther King Jr. que ocorreram em 1965 e que buscavam garantir o direito de voto para todos os afro-americanos. A película aborda todas as tensões vividas pelo personagem principal a medida em que seu nome foi ganhando protagonismo e como suas lutas geraram resultados para tornar a vida da comunidade negra um pouco mais igualitária.

 

Corra!

 

 

Apesar de ser considerado um filme de terror, Corra! explora a questão do racismo velado e a objetificação e apagamento de homens e mulheres negros. O relacionamento de um jovem negro com uma garota branca e de família abastada é colocado em xeque através de diálogos e atitudes que beiram o surreal, mas que, infelizmente, sabemos que são comuns. O filme conta com diversos códigos sutis para abordar a questão racial e que valem uma busca aprofundada.

 

What Happened, Miss Simone?

 

 

O documentário retrata de maneira honesta a vida da cantora e ativista Nina Simone. Através de depoimentos e cenas raras, testemunhamos a vida turbulenta da cantora, que tentava alinhar sua carreira com seu engajamento pelos direitos civis. Uma mulher brilhante e de personalidade forte que ainda têm muito a nos ensinar.

 

Cara Gente Branca

 

 

Após uma festa universitária onde se pratica o blackface, Sam White (Logan Browning), através de seu programa de rádio que dá nome à série, fala de maneira franca sobre os problemas raciais vividos por um grupo de jovens negros no cotidiano de um ambiente universitário majoritariamente branco. O programa vai além do racismo e trata sobre a solidão da mulher negra, apropriação cultural, o mito do racismo reverso, colorismo etc.

 

Loving

 

 

No estado da Virgínia nos anos 50, o casamento inter-racial não é só proibido como passível de punição severa. O filme conta a história verídica de Richard e Mildred Loving, que enfrentam as leis segregacionistas da época para manterem seu casamento.

Especial #FIQUEEMCASA | 7 Cantoras para ficar de olho

13.04.20 | Lifestyle Vídeos


 

Ficar em casa implica em procurar atividades que concedem qualidade ao seu tempo. Música, com certeza, é uma dessas ferramentas que fazem as horas passar de forma mais agradável. Se esse é um assunto que te interessa, procurar novos artistas pode ser uma dinâmica deliciosa para esse momento de distanciamento social e pensando nisso nós selecionamos algumas cantoras de vozes e estilos diversos, mas que têm em comum a qualidade de suas músicas. Ouça, explore e expanda suas referências musicais com essas mulheres.

 

Deb Never

 

 

Umi

 

 

Baby Rose

 

 

Gracie Abrams

 

 

Remi Wolf

 

 

ABRA

 

 

H.E.R

 

Especial #FIQUEEMCASA | 15 desfiles que entraram para a história

02.04.20 | Moda Vídeos


 

A cada temporada nos deparamos com desfiles que, além de belos, carregam mensagens importantes sobre questões sociais, injetam inovações nos circuitos mais tradicionais e trazem surpresas insusitadas que os fazem entrar para a história da moda. Selecionamos 15 desfiles que são memoráveis pelas perfomances, pela vanguarda, pela história, ou simplesmente por captar com maestria o espírito de seu tempo. Confira nossa curadoria abaixo, com os vídeos completos de cada apresentação.

 

Alexander McQueen Spring/Summer 1999

 

 

Jean Pual Gaultier LAST SHOW

 

 

Thierry Mugler Haute Couture Spring/Summer 1997

 

 

GIANNI VERSACE Fall 1991/1992 Milan

 

 

Cruise 2016/17 CHANEL Show in Cuba

 

 

Fendi | Haute Couture Fall Winter 2016/2017

 

 

Maison Margiela Spring-Summer 2020

 

 

Jacquemus | Spring Summer 2020

 

 

Dior Fall 2000 Couture

 

 

Viktor&Rolf Women’s RTW – Autumn/Winter 2010

 

 

Gucci | Fall Winter 2018/2019

 

 

Dries Van Noten 110 Women’s Spring/Summer 2020

 

 

Givenchy | Haute Couture Fall Winter 2018/2019

 

 

COMME des GARÇONS Autumn / Winter 2016 – 2017

 

 

Balenciaga Winter 20

 

Os 25 clipes mais fashionistas de todos os tempos

31.03.20 | Vídeos


 

A música é uma das melhores formas de expressão dos sentimentos, além de ser uma das ferramentas mais eficazes nesses tempos de distanciamento social. Pensando na importância da música, fizemos uma curadoria com os 25 vídeos mais fashionistas de todos os tempos. São estéticas diferenciadas, figurinos riquíssimos e, claro, muita música boa para animar o seu dia. Aproveite!

 

Lady Gaga – Telephone ft. Beyoncé

 

 

Taylor Swift – Blank Space

 

 

Gwen Stefani – What You Waiting For?

 

 

Justin Bieber – Sorry

 

 

Iggy Azalea – Fancy ft. Charli XCX

 

 

Deee-Lite – Groove Is In The Heart

 

 

Sonic Youth – Kool Thing

 

 

Blondie – Heart Of Glass

 

 

Kylie Minogue – Can’t Get You Out Of My Head

 

 

Madonna – Take A Bow

 

 

Katy Perry – E.T. (Official) ft. Kanye West

 

 

APES**T – THE CARTERS

 

 

Prince – Kiss

 

 

Lana Del Rey – Born To Die

 

 

Queen – I Want To Break Free

 

 

Grace Jones – Slave to the Rhythm

 

 

Cardi B, Bad Bunny & J Balvin – I Like It

 

 

Michael Jackson – Smooth Criminal

 

 

ROSALÍA – Aute Cuture

 

 

Lauryn Hill – Doo-Wop (That Thing)

 

 

Jennifer Lopez – I’m Glad

 

 

Christina Aguilera – Fighter

 

 

Rihanna – We Found Love ft. Calvin Harris

 

 

Lily Allen | Not Fair

 

 

M.I.A. – “Bad Girls”