COGUMELOS – comunidade, nutrição e sustentabilidade

19.01.22 | Get Inspired By Moda Tendências


 

Esses fantásticos organismos do Reino Fungi são, há milhares de anos, usados pelos homens para alimentação, fins medicinais ou mesmo para efeitos alucinógenos. Além de todas as utilidades já conhecidas, os cogumelos agora se tornaram objeto de desejo estético e são fonte de inspiração para criações de estampas, design e até mesmo para a produção de matéria-prima derivada do micélio – as ramificações que nutrem o fungo – que já foi usada pela estilista Stella McCartney para fabricação de bolsas em sua coleção da temporada spring 22. Mas muito mais do que fins visuais, a alta dos cogumelos da indústria demonstra um apreço pela unicidade. Afinal, cogumelos crescem em comunidades e surgem em condições muitas vezes brutais e improváveis. Pensando nisso, é inevitável fazer a ligação com o nosso atual período e com o que desejamos em termos de evolução humana em um cenário caótico como o que estamos vivendo agora. Senso de comunidade e crescimento a partir de condições desafiadoras. A sustentabilidade, outrossim, é um tópico urgente, necessário e cada vez mais levado em conta tanto na hora de se fazer uma coleção, como no momento do consumo. Justamente por isso é que o uso da tecnologia têxtil para a produção de materiais sustentáveis feitos a partir de fungos, cascas de frutas e subprodutos da indústria do vinho, por exemplo, estão se tornando cada vez mais uma fonte viável para o meio ambiente e economicamente competitiva em relação à matéria-prima animal. Pois então anote aí: cogumelos serão o hype de 2022, seja como alternativa sustentável de produção ou simplesmente para finalidades estéticas que carregam significado de coletividade e evolução.

 





rainbow AESTHETIC

12.01.22 | Get Inspired By Moda


 

Todo ano o Pinterest, uma das nossas redes sociais favoritas, disponibiliza o Pinterest Predicts, um relatório das tendências futuras de acordo com as buscas dos usuários. Um desses movimentos mostra justamente uma estética que se relaciona muito com o atual momento que estamos passando e com o que é esperado para este ano conforme as medidas sanitárias adotadas em função da pandemia forem relaxando ainda mais. É o que nós chamamos de Rainbow Aesthetic, ou seja, roupas e acessórios compostos de tons solares e padronagens vibrantes que sugerem atitudes mais otimistas em relação ao futuro, além da alegria do retorno do ato de “vestir para sair”. São as cores, basicamente, que serão pensadas como base estética para construção de um visual e não o design da peça propriamente dito. Este movimento, inclusive, já pôde ser notado nos desfiles da temporada spring 22 em marcas como Versace, Tom Ford, Blumarine, Saint Laurent e muitas outras.

 

 

Na televisão, séries e filmes que têm o figurino como parte crucial do enredo também já adotaram essa estética mais superlativa no que diz respeito às cores. Vide a segunda temporada de Emily in Paris e And Just Like That, onde o retorno de Carrie Bradshaw veio marcado por um visual ainda mais elaborado, dramático e colorido.

 

 

O movimento é amplo e pode ser inserido em nosso visual por diversas maneiras – estampas marcantes (sejam as clássicas, abstratas ou artsy, o importante é que sejam compostas de cores mais puras), color block, padronagens de arco-íris, looks monocromáticos em tons eletrizantes ou mesmo nos pontos focais trabalhados apenas nos acessórios. 2022 certamente será mais colorido.

 

2022 chegou – o que esperamos da moda daqui para frente

03.01.22 | Get Inspired By Lifestyle


 

A cada ano pensamos em resoluções, objetivos e tarefas para alcançarmos, quase sempre de maneira muito pessoal. Mas em tempos em que diversos eventos nos atingem como um todo, nos obrigando a pensar e agir em prol da coletividade, nossas resoluções, objetivos e tarefas que se renovam todo o dia 01/01 também deveriam ser projetados no âmbito social. Tendo isso em mente, um dos nossos principais desejos para 2022 é que a moda, de fato, se torne um lugar de transformação e locomoção social através do reconhecimento justo, urgente e genuíno de talentos verdadeiros e plurais, de origens plurais. Estamos falando especificadamente da moda por ser nosso principal instrumento de trabalho, por vivermos suas diversas ramificações todos os dias. E quanto mais analisamos e falamos sobre moda, mais percebemos a necessidade de se ocorrer essa revolução. Testemunhamos, sim, algumas evoluções nesse campo, especialmente na última edição da SPFW, muito mais democrática e diversa. Mas ainda caminhamos a passos infantis nessa mudança. Quantos talentos são ignorados e anulados por conta da prática ultrapassada (e tóxica) de diversos veículos darem preferência a nomes (e sobrenomes) que já fazem parte de uma estrutura dominante a fim de que essa bolha permaneça fechada em detrimento de profissionais realmente sérios e detentores de conteúdos e bagagens relevantes que poderiam contribuir de maneira exponencial para o crescimento e amadurecimento da moda brasileira? O que nós desejemos, é que haja um compromisso sério entre a moda e a diversidade. Colocar uma modelo negra e uma pessoa gorda para a imagem de uma campanha não configura comprometimento com uma moda mais diversa. Nós queremos que essas pessoas e tantas outras que fogem da estética branca/sudestina/nomes-compostos-importantes ocupem cargos de liderança dentro da indústria e que ganhem destaque além de uma imagem esporádica. Nós queremos que pequenos produtores, artesãos e artistas não sejam surpreendidos ao verem seus trabalhos descaradamente usurpados por grandes nomes sem qualquer crédito ou o justo redirecionamento do lucro. Nós queremos não só corpos e cores diversos, mas queremos vozes diversas também. E que essas vozes sejam altas e reverberem e gerem impacto. Em um mundo onde eventos tão grandiosos atingem a humanidade de forma tão desafiadora, ainda que cada um viva suas experiências subjetivamente, é urgente que a moda comece a trabalhar em favor do coletivo. Nós desejamos que o “viver de moda” seja uma realidade para esses profissionais. Que eles ganhem de maneira justa por seus trabalhos, que as marcas já consagradas no mercado esqueçam do “pagamento” através de permutas ou simples menções, e de fato se envergonhem de um dia terem exercido tal prática. Ética, remuneração justa, ambientes de trabalho saudáveis e plurais. Será pedir muito?

O dinamismo de Rosamund Pike que indica a nova imagem para eventos formais

17.11.21 | Get Inspired By It girl


 

Nós aqui do escritório amamos analisar um tapete vermelho, por mais superficial e antiquada que essa ideia possa parecer. Mas por trás de incontáveis pedrarias, horas de produção e metros e mais metros de tecidos, alguns dos maiores movimentos de pautas contemporâneas, como o “ask me more”, “me too” e “time’s up”, além de protestos políticos e antirracistas, ganham força através da adesão de celebridades influentes – e impecavelmente vestidas. E nessas análises temos notado que um nome vem se destacando através de uma construção coerente de imagem e comunicação nos red carpets da vida: Rosamund Pike. A atriz foge da obviedade e se arrisca em uma narrativa incomum para essas ocasiões, pautada por uma estética mais complexa e de viés fetichista.

 

 

 

 

A começar pelas composições de duas ou mais peças que muitas vezes substituem ou completam os vestidos longos, que geralmente são as peças centrais deste tipo de evento. A complementação pode ser feita através de uma calça bem cortada, de um sobretudo estruturado, de acessórios encorpados ou detalhes mais robustos, como golas altas, jaquetas ou adornos metalizados, fivelas, acabamentos em couro e cores mais profundas aplicadas tanto nas peças quanto na beleza. Depois podemos citar a atmosfera ousada do design que permeia suas escolhas e torna sua imagem coesa e marcante. Os cortes retos projetam seriedade e sofisticação, mas são suavizados por transparências, recortes estratégicos e texturas que sugerem liberdade de movimentos, como plumas, franjas e plissados. Mesmo os vestidos que parecem mais tradicionais ao primeiro olhar têm traços da personalidade corajosa da atriz no campo do estilo, como decotes aprofundados e contornos e arranjos que deixam à mostra partes menos óbvias da silhueta.

 

 

 

A figura da atriz se enquadra na sensualidade contemporânea, pautada por um design muito mais interessante do que simplesmente bonito. Além de tudo, Pike mostra uma segurança absurda à bordo dessas produções, sugerindo que se identifica com essa imagem que é mostrada para as câmeras nessas ocasiões, o que torna o conjunto de imagem + persona ainda mais cativante.

 

desvendando a potência de ANGELINA JOLIE

29.10.21 | Get Inspired By Lifestyle


 

Atriz, cineasta e ativista humanitária, Angelina Jolie tem uma força gravitacional que nos coloca no lugar metafórico dos satélites que apenas orbitam em seu magnetismo. Mas qual a razão dessa potência? Atriz, cineasta e ativista humanitária são apenas alguns dos papéis que Jolie exerce e que exerce com plena entrega. Talvez é nesse ponto que podemos começar a desvendar o mistério da sua importância.

 

 

Uma sociedade patriarcal controla e induz a mulher a escolher um papel de protagonismo para sua vida – ou a mãe, ou a profissional, ou o símbolo sexual, ou a filantropa, ou a erudita, ou a divertida – caso contrário ela poderá sofrer consequências desastrosas representadas pelo isolamento, pelo preconceito, pelo esquecimento e até por vias mais violentas. A mulher que escolhe prosperar na carreira não pode ser uma boa mãe. A mulher que se destaca pelo corpo certamente não pode ser muito inteligente. A mulher que se entrega à caridade possivelmente não é atraente, assim como a mulher inteligente. Bonita, inteligente, mãe e ativista, consegue pensar em alguém que tenha exercido esses papéis com entrega plena? Diana Spencer – que sofreu consequências desastrosas por ousar trocar o “ou” pelo “e”. A conjunção “ou” indica uma escolha ao invés da outra. No caso de Jolie, a conjunção “ou” não é uma escolha em sua narrativa de vida e possivelmente a troca do “ou” pelo “e” na narrativa de vida de muitas mulheres passou a ser possível também pela sua figura e de tantas outras que escaparam da armadilha social da constrição e do encaixotamento dos papéis femininos.

 


 

Jolie foi uma das mulheres que mostrou que é possível contornar a emboscada patriarcal do papel único ou pelo menos do papel dominante. A mãe, a filantropa, o símbolo sexual, a culta, a profissional, a famosa e a capacidade de performar em tudo isso com potência igualitária. Claro que não podemos deixar de lado seus privilégios e sua aparência, que certamente contaram para a pavimentação uniforme desse caminho. Uniforme, porém certamente caótica, como é para todas as mulheres. O diferencial de Angelina é que esse confronto silencioso das amarras sociais se dá com a união de aparência e ação. Ela é uma escolha não convencional de “exemplo” por se fazer plural e poder exercer sua pluralidade sozinha. Aqui entra o “ou”. A figura masculina passa a ser uma alternativa, mas nunca uma necessidade. Suas escolhas criteriosas de carreira demonstram seu poder de relevância mesmo com o passar dos anos e reforçam suas prioridades familiares e humanitárias, o que solidifica sua potência.

 

 

 

Ela é o que chamamos de um tipo ideal de figura feminina justamente porque possibilita a projeção de acessos plurais a outras mulheres. E como as reticências são mais interessantes que o ponto final, Jolie lançou recentemente o livro Know Your Rights and Claim Them. Voltado para o público jovem, o livro tem como objetivo auxiliar e empoderar através do conhecimento e da educação sobre direitos básicos para a construção de uma sociedade igualitária. Não podemos nos esquecer que com dinheiro e uma rede de apoio competente, o acesso e a performance em diferentes papéis se tornam mais viáveis, mas por outro lado tornam-se também dispensáveis, ainda mais os papéis espinhosos e burocráticos. Aqui encontramos outra dica da razão da potência de Jolie: a escolha por multiplicar seus “es” para muito além do próprio benefício.

 

Scandinavian street style s/s 22 – LET’S CELEBRATE!

02.09.21 | Get Inspired By Street Style


 

Se olharmos para as imagens do street style das semanas de moda de Estocolmo, Copenhague e Oslo em um período pré-pandêmico conseguimos notar uma diferença abismal das fotos desta temporada (a primeira com desfiles presenciais em mais de um ano). Se antes o estilo das escandinavas inspirava pelo minimalismo aliado a um design arrojado, pelos tons terrosos pálidos, pelas novas perspectivas sobre peças tradicionais, pelo styling repleto de referências distintas unidas de forma harmônica, pela simplicidade sofisticada e pela ausência de limitações no que se refere às colaborações entre os armários feminino e masculino, desta vez entram em cena as cores vibrantes, a estamparia festiva, a riqueza de detalhes, o exagero pensado nos acessórios, uma mistura ainda mais ampla de referências, as peças statement ou looks completos statement, o artesanal efusivo e um design ainda mais diferenciado. Estética elaborada para chamar a atenção.

 


 

Nós já temos falado há algum tempo sobre este movimento que une a alegria de voltar a sair com a vontade de voltarmos a nos arrumar. Ele foi observado desde as temporadas spring 21 RTW e resort 22 e se firmou no street style da semana de alta-costura parisiense. Tivemos, afinal, bastante tempo durante o isolamento social para rever nossos armários, pensar em composições diferentes e até comprar itens novos. Esse exercício forçado usado como uma maneira de fazer o tempo passar pode ter aprimorado nosso senso de estilo e a vontade de ousar mais em termos estéticos é natural. Justamente por isso é que mulheres que já possuem uma noção de moda muito elevada, como acontece com as comunicadoras escandinavas, inovam ainda mais quando encontram mais tempo com seus closets e desenvolvem uma adaptação visual ajustada ao espírito do tempo com maior intensidade.

 


a.camisa + araras | confira a nova coleção

12.08.21 | Get Inspired By Lifestyle Look da Paula


 

Quem conhece a marca a.camisa da Paula sabe que as peças não seguem um calendário fixo de lançamento. Isso porque a a.camisa é baseada no princípio do slow fashion, que preza pela qualidade, exclusividade e principalmente pela experiência do cliente. Exemplo disso são as parcerias que já foram firmadas entre a marca e diversos nomes importantes tanto do mercado da moda quanto das artes, o que torna as peças ainda mais especiais. Então quando a a.camisa foi convidada para participar de um projeto tão único quanto o da loja Araras, a Paula sentiu que era o momento de uma nova coleção. A Araras é uma multimarcas excepcional que possui uma curadoria ímpar de produtos interessantíssimos, que vão desde roupas e calçados até objetos de decoração.

 

 

E para alinhar o storytelling da a.camisa com o manifesto da Araras, a Paula criou quatro modelos de camisa inspirados pela alfaitaria masculina e pela sofisticação atemporal deste universo. Os detalhes encontrados em cada uma das peças exploram essa atmosfera masculinizada, porém suave. São nervuras, golas estruturadas, modelagens levemente desprendidas, ombros delicadamente pontuados e estamparia clássica. Apesar dessas referências mais tradicionais, as camisas são pensadas para uma mulher contemporânea, que preza pelo conforto, mas não abre mão de deixar clara sua identidade através do estilo.

 

 

Todos os quatro modelos a.camisa já podem ser encontrados na Araras, que fica no primeiro piso do Shopping JK Iguatemi. Vale muito a pena conhecer esse universo Araras e todos os itens cuidadosamente escolhidos pelo competente time da loja.

 


 

 

Lembrando que estes modelos são encontrados somente na Araras, mas você pode conhecer as outras peças através da nossa loja virtual
 
Araras
Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041, piso I

Análise de estilo – EMILY RATAJKOWSKI

05.08.21 | Get Inspired By Lifestyle Styling


 

O estilo sensual, como o próprio nome sugere, tem características muito explícitas dos códigos de sedução, poder e dominação – e aqui não estamos falando do âmbito sexual dessas definições. Este é um estilo pessoal bem familiar para grande parte das brasileiras que, até pelo clima do País e por nossa personalidade, apreciam este jogo de revelações do corpo através das roupas e de alguns elementos de design que fazem parte deste pacote, como decotes, fendas, transparência, texturas brilhantes, cores profundas, animal print, materiais densos e marcantes como couro e vinil, etc. A atriz e modelo americana Emily Ratajkowski é um exemplo prático perfeito desse estilo, mas em seu caso existem alguns diferenciais que tornam seu visual muito mais atual e ajustado com a definição da sensualidade contemporânea. No caso de Emily, são duas as peculiaridades que distinguem a sensualidade da sua figura: a manipulação inteligente do que deve ser mostrado e do que deve ser escondido junto com a habilidade em unir características estéticas opostas ao estilo sensual de forma tão orgânica. O corpo à mostra através de decotes e comprimentos encurtados ganha equilíbrio com a junção de peças utilitárias e volumosas ao visual; itens de shape ajustado que revelam os contornos da silhueta seguem para um lado mais descontraído quando finalizados com tênis ou botas de aspecto dramático; a alfaiataria pode ser reveladora nos recortes, mas tem dimensões amplificadas e equilíbrio de proporções. Acessórios e itens de complementação também são explorados a fim de modernizar a veia sensual de Emily. Tênis robustos, bolsas compactas e estruturadas que adicionam sofisticação ao visual, cores de baixa intensidade, casacos amplos e ricos em textura e acessórios pesados que trazem uma força à composição final. A atriz mostra que drama e casualidade formam o arremate perfeito para atualizar os atributos sensuais e propõe uma narrativa singular de modernização, com muito senso estético e sem descaracterizar a potência magnética deste estilo.

 

Análise de estilo | JESSICA ALBA

01.06.21 | Get Inspired By Street Style Styling


 

Em um primeiro momento o estilo da atriz Jessica Alba pode parecer bem casual, mas ao olharmos mais atentamente para as suas imagens que foram capturadas durante a pandemia podemos perceber que Alba se diferencia pelos detalhes e sua casualidade é muito mais contemporânea do que simplesmente básica. A começar pela priorização do conforto. Materiais que permitem maior liberdade de movimentos como os moletons, formas amplificadas e os pés no chão são algumas das características associadas ao conforto que a atriz aplica em sua imagem, mas é justamente a maneira como ela junta tais características que faz o resultado final se destacar. A atriz lança mão de produções monocromáticas, que mesmo em cores tradicionais acabam por chamar mais a atenção, prioriza dimensões maiores em suas peças e brinca com proporções de forma mais inusitada – nada é muito ajustado nem demasiadamente oversized, mas os volumes são suficientemente notáveis para realçar uma informação de moda. É aquela comunicação de imagem que parece justamente não querer comunicar nada, mas ao final das contas entrega uma presença marcante de senso estético e de ambientação.

 

Análise de estilo | Cate Blanchett

20.05.21 | Get Inspired By Lifestyle Styling


 

Quando se trata de estilo, a atriz Cate Blanchett geralmente costuma ser lembrada pelas suas produções mostradas nos red carpets dos maiores eventos do cinema. Mas na vida fora dos holofotes, Blanchett também faz bonito com a sua imagem. Com uma mistura contemporânea dos universos masculino e feminino, Cate já coloca em xeque as questões retrógradas sobre o visual dividido por gênero há bastante tempo. Adepta dos ternos bem cortados, dos macacões utilitários e do conforto nos pés, a atriz sempre mostrou que elegância nada tem a ver com ostentação, muito pelo contrário. E é justamente esse tipo de elegância sem esforço que a atriz propaga que faz com que seu estilo pessoal seja uma inspiração cirúrgica não só para a vida, mas especialmente para o presente. Com os recentes acontecimentos e com a vida aos poucos voltando ao normal, a estética para sair de casa, segundo os movimentos que analisamos, se volta para a manutenção do conforto e da sensação de abrigo que certas roupas nos proporcionam, com a sofisticação, mesmo que simples, que alguns compromissos fora do âmbito do lar exigem. E a atriz consegue materializar esse mood.

 

 

 

Basta olharmos para as produções usadas durante esse período pandêmico para conseguirmos entender o que esse movimento quer dizer. O conforto que falamos aqui se transfigura na imagem da atriz através dos sapatos, dos saltos mais grossos, da facilidade da peça única ou da base mais simples que possibilita a ousadia nas peças de complementação e nos acessórios, na liberdade de repetição dos itens que para alguns ainda parece um crime, nas modelagens menos ajustadas, nos cabelos com efeito natural etc. Conforto aqui vai muito além do moletom, perceba. A elegância sem esforço fica a cargo do conjunto da obra, do resultado final. Você olha para a imagem e absorve a elegância. Claro que alguns detalhes contam para que esse efeito seja percebido, como os blazers que fecham os looks mais básicos, a alfaiataria ampla, as cores clássicas, a cintura levemente marcada, o brilho discreto em algum ponto específico da produção. Cate consegue entregar uma imagem sofisticada sem parecer distante e isso é fundamental nas relações entre pessoas, sobretudo nos dias atuais onde nunca fomos tão distantes uns dos outros.