Análise de estilo | JESSICA ALBA

01.06.21 | Get Inspired By Street Style Styling


 

Em um primeiro momento o estilo da atriz Jessica Alba pode parecer bem casual, mas ao olharmos mais atentamente para as suas imagens que foram capturadas durante a pandemia podemos perceber que Alba se diferencia pelos detalhes e sua casualidade é muito mais contemporânea do que simplesmente básica. A começar pela priorização do conforto. Materiais que permitem maior liberdade de movimentos como os moletons, formas amplificadas e os pés no chão são algumas das características associadas ao conforto que a atriz aplica em sua imagem, mas é justamente a maneira como ela junta tais características que faz o resultado final se destacar. A atriz lança mão de produções monocromáticas, que mesmo em cores tradicionais acabam por chamar mais a atenção, prioriza dimensões maiores em suas peças e brinca com proporções de forma mais inusitada – nada é muito ajustado nem demasiadamente oversized, mas os volumes são suficientemente notáveis para realçar uma informação de moda. É aquela comunicação de imagem que parece justamente não querer comunicar nada, mas ao final das contas entrega uma presença marcante de senso estético e de ambientação.

 

Análise de estilo | Cate Blanchett

20.05.21 | Get Inspired By Lifestyle Styling


 

Quando se trata de estilo, a atriz Cate Blanchett geralmente costuma ser lembrada pelas suas produções mostradas nos red carpets dos maiores eventos do cinema. Mas na vida fora dos holofotes, Blanchett também faz bonito com a sua imagem. Com uma mistura contemporânea dos universos masculino e feminino, Cate já coloca em xeque as questões retrógradas sobre o visual dividido por gênero há bastante tempo. Adepta dos ternos bem cortados, dos macacões utilitários e do conforto nos pés, a atriz sempre mostrou que elegância nada tem a ver com ostentação, muito pelo contrário. E é justamente esse tipo de elegância sem esforço que a atriz propaga que faz com que seu estilo pessoal seja uma inspiração cirúrgica não só para a vida, mas especialmente para o presente. Com os recentes acontecimentos e com a vida aos poucos voltando ao normal, a estética para sair de casa, segundo os movimentos que analisamos, se volta para a manutenção do conforto e da sensação de abrigo que certas roupas nos proporcionam, com a sofisticação, mesmo que simples, que alguns compromissos fora do âmbito do lar exigem. E a atriz consegue materializar esse mood.

 

 

 

Basta olharmos para as produções usadas durante esse período pandêmico para conseguirmos entender o que esse movimento quer dizer. O conforto que falamos aqui se transfigura na imagem da atriz através dos sapatos, dos saltos mais grossos, da facilidade da peça única ou da base mais simples que possibilita a ousadia nas peças de complementação e nos acessórios, na liberdade de repetição dos itens que para alguns ainda parece um crime, nas modelagens menos ajustadas, nos cabelos com efeito natural etc. Conforto aqui vai muito além do moletom, perceba. A elegância sem esforço fica a cargo do conjunto da obra, do resultado final. Você olha para a imagem e absorve a elegância. Claro que alguns detalhes contam para que esse efeito seja percebido, como os blazers que fecham os looks mais básicos, a alfaiataria ampla, as cores clássicas, a cintura levemente marcada, o brilho discreto em algum ponto específico da produção. Cate consegue entregar uma imagem sofisticada sem parecer distante e isso é fundamental nas relações entre pessoas, sobretudo nos dias atuais onde nunca fomos tão distantes uns dos outros.

 

Análise de Estilo: SARAH JESSICA PARKER

15.04.21 | Get Inspired By Lifestyle Styling


 

Sarah Jessica Parker é conhecida por papéis marcantes na TV e no cinema, mas foi sua personagem Carrie Bradshaw em Sex and the City que alçou a atriz a ícone fashion. Mas muito além da imagem de Carrie, Sarah tem um senso estético muito apurado e seu estilo contemporâneo, criativo e por vezes dramático é tão inspirador quanto sua personagem. Em tempos pandêmicos, no entanto, pode ser um pouco mais difícil, pelo menos para a maioria das pessoas, pensar em uma composição estética mais complexa diante de tantas outras prioridades. Há algum tempo nos analisamos o estilo da Atriz Katie Holmes (para ver o post clique aqui) e em como sua figura casual com pitadas de sensualidade e atmosfera urbana combina com os tempos atuais. Isso não significa, entretanto, que uma imagem mais trabalhada e até exuberante não possa se encaixar no presente. Basta ver os desfiles das semanas de moda que aconteceram durante esse período de pandemia com o consequente isolamento social para perceber que looks extravagantes foram tão explorados quanto os mais confortáveis, justamente por trazerem essa ideia de otimismo em relação ao futuro.

 

 

 

No caso de Sarah, fica claro que seu estilo sofreu algumas intervenções que se encaixam no atual período, mas mesmo assim não perderam sua essência mais luxuosa e experimental. O que diferencia as produções da atriz são justamente as misturas inusitadas e os truques de estilo que fazem o resultado final pertinente para o momento. Calças de moletom entram nos looks da atriz, mas do jeito dela: encurtadas, com barras elásticas marcantes, misturadas com peças de complementação mais chamativas e acessórios festivos (máscaras texturizadas, pontos de cor intensos, materiais refletivos etc.). Até as produções que num primeiro momento parecem ser mais básicas ganham riqueza nos detalhes, em especial os calçados. A atriz mostra que o estilo não precisa ser sacrificado por conta de tempos mais inseguros, mas pode ser adaptado.

 

 

 

O efeito BOTTEGA

21.01.21 | Get Inspired By Lifestyle Moda



 

A tradicional casa italiana foi fundada nos anos 60 e quase que instantaneamente se tornou um sucesso de vendas com seus artigos em couro, especialmente por conta da técnica exclusiva de entrelaçamento do material denominada intrecciato. Verdade seja dita, a parte de acessórios sempre foi o carro-chefe da marca. As bolsas e calçados da Bottega são um dos artigos de luxo mais desejados do mundo e, sim, valem cada centavo. As técnicas de manufatura da casa, o primor do material e o design atemporal são alguns dos elementos que alçaram a marca a um patamar ocupado por poucos. Mas por mais que um nome esteja consolidado no mercado, especialmente como autoridade em um determinado produto ou matéria-prima, a necessidade de renovação mais cedo ou mais tarde bate à porta. A reinvenção da Bottega veio com a chegada do estilista britânico Daniel Lee. Com apenas 32 anos, o designer já passou por marcas como Balenciaga, Maison Margiela e sua mais recente atuação foi na Céline da era Phoebe Philo. Com uma bagagem tão importante, foi criada uma expectativa enorme em torno do seu trabalho, que veio acompanhada de um receio justificável de suas criações serem apenas extensões das marcas pelas quais o estilista passou. Mas o que se viu em sua coleção de estreia foi justamente uma identidade própria, pautada por uma elegância silenciosa e um design contemporâneo que surpreendentemente têm total relação com o legado da Bottega.

 


 

Da coleção fall 2018 para a temporada fall 2019, quando houve a estreia de Lee, a diferença é notável. Percebe-se a essência da Bottega, mas também notamos a mão do estilista. Essa harmonia entre a criação e a herança de uma marca não é tão fácil de acontecer e temos visto diversos nomes tradicionais do mercado se perdendo completamente em suas modernizações ou ficando sem um sentido nas suas novas abordagens. Lee trouxe uma narrativa consistente para a Bottega. Abriu a porta de novos tempos para a marca, mas com deferência a sua história. Suas criações têm grande apelo no mercado e passaram a ser expressivamente vistas no street style, além dos desfiles da Bottega hoje serem um dos mais aguardados do circuito. Claro que com o sucesso, vem o infame inspired. As criações de Lee, especialmente os calçados e as bolsas, servem (descaradamente, diga-se de passagem) de “inspiração” para inúmeras marcas ao redor do globo e se tornou fácil encontrar, por exemplo, as sandálias de tiras trançadas e almofadadas, os scarpins de tramas vazadas e os mules com uma imitação desafortunada do famoso intrecciato da marca. Independente disso, é um prazer assistir aos desfiles da Bottega sob o comando de Daniel Lee e perceber que o tradicional pode se juntar ao futuro com dignidade quando diversos fatores são observados. Entre os principais, está o respeito ao trabalho e à identidade criativa do estilista, concedendo liberdade para sua atuação e o entendimento do patrimônio imaterial de uma marca do porte da Bottega.

 

Análise de estilo: KATIE HOLMES

14.01.21 | Get Inspired By Moda


 

Desde o começo dos anos 2000 a atriz Katie Holmes chama a atenção (também) pelo seu estilo e mesmo longe de trabalhos grandiosos seu visual ainda é bastante observado. Holmes tem um estilo pessoal muito básico, mas que é enriquecido por detalhes como acessórios robustos, design diferenciado – pense em calças jeans mais amplas, por exemplo – e toques de sensualidade que imprimem personalidade ao resultado final. Blusas sem alça, pele estrategicamente à mostra e os cabelos sempre soltos ou displicentemente presos tornam a figura de Katie cativante e facilmente inspiradora justamente por essa mistura entre o informal, o tradicional e o sensual. Mas muito além de edições simplificadas dos looks que geram familiaridade e aproximam a atriz do público, as escolhas de Katie parecem ter tudo a ver com o momento atual. Com uma fase tão grave e difícil como a que estamos vivendo, pensar no que vamos vestir parece ser uma preocupação distante e supérflua, mas a atriz mostra que não precisa ser assim. Suas escolhas casuais e recentes indicam que o conforto é imprescindível, mas as nuances de elegância, contemporaneidade e engajamento (vide a camiseta “vote now” que Holmes usa em um de seus looks) é que dão o tom do visual da atualidade – sem espaço para movimentos passageiros e afetações e que ainda estão ligados em alguns pontos com aquelas escolhas do home office. Moletons combinados com blazers, tênis e flats finalizando looks compostos de peças clássicas, como os jeans de corte reto e trench coats, cartela de cores mais iluminada, porém tradicional e que sugerem um certo aconchego, modelagens desprendidas equilibradas com outras mais ajustadas etc. São, em suma, looks que indicam conforto e liberdade de movimentos, mas que também prezam por detalhes ricos e que manifestam informação de moda. Mais real e atual, impossível.

 

 

 

 

2021: O que você espera da noite da virada?

28.12.20 | Get Inspired By Lifestyle Personal Stylist


 

2021 já está quase aí e, verdade seja dita, estamos esperando ansiosamente por esse momento. 2020 foi um ano difícil, para dizer o mínimo. Tantos acontecimentos, tantas reviravoltas, tantas realidades distintamente afetadas pelo curso das coisas. Cada um viveu e sobreviveu a 2020 como pôde. Com um dos maiores eventos do ano chegando, a tentação de aproveitar ao máximo as festas de Réveillon em algum destino litorâneo e com bastante gente é grande, mas nós sabemos que, com a mínima noção de responsabilidade e senso coletivo, essa ideia é irreal. Grande parte das pessoas vai encarar essa data como um rito de passagem, com muita reflexão e vibrações positivas para que o próximo ano seja, pelo menos, mais brando. Obviamente as roupas refletem esse estado de espírito de reclusão, de se voltar para si e fazer um balanço do que foi aprendido em um momento que exigiu tanto de todos nós. O conforto, obviamente, já passou a ser característica intrínseca do guarda-roupa de todo mundo e na noite da virada não haveria de ser diferente. Ainda se ver em casa, ainda mais em uma noite tão especial, pode afetar nossa saúde mental de muitas maneiras e quanto mais pudermos amenizar esses efeitos negativos, mesmo que com coisas tão banais quanto uma roupa, melhor. Outra característica que pode ser importante para marcar a passagem de um ano tão singular por conta de eventos negativos, são as cores que emanam tranquilidade, otimismo e esperança. Nesse quesito, o branco que já é uma tradição para a ocasião, tem um papel ainda mais importante para nos dar essa sensação do fim de um ciclo que vem junto com a meia-noite do dia 31/12. O ano novo sempre renova nossas esperanças e agora, mais do que nunca, não há de ser diferente. Seja em casa sozinha ou perto dos seus (poucos), realizar o seu ritual de passagem de ano continua sendo uma maneira poderosa de renovar nossas energias para o que está por vir. E se você quiser começar pela roupa, veja nossas indicações de peças que sugerem conforto, familiaridade, segurança e liberdade que podem auxiliar nessa transição.

 

Pantone color of the year 2021 | Illuminating & Ultimate Gray

23.12.20 | Get Inspired By Lifestyle Moda


 

Em 2016 o instituto Pantone surpreendeu e escolheu duas cores para ditar as tendências de moda, decor, design, desenvolvimento de produto etc. Na época, o Rosé Quartz e o Serenity eram cores suaves que se completavam em sofisticação e quietude. Neste ano, no entanto, a escolha foi de dois tons totalmente opostos em termos de temperatura e intensidade, mas que se juntam em uma mensagem: a de familiaridade, segurança e otimismo. O amarelo brilhante denominado Illuminating já havia sido detectado aqui no escritório como uma cor importante para 2021. Em um ano tão complexo como 2020, tons que sugerem esperança, entusiasmo e confiança em relação ao futuro são muito bem-vindas. Segundo a Pantone, o tom representa vivacidade, lembrando a energia solar. Já o Ultimate Gray é uma cor sólida, confiável, segura e familiar, que vem para trazer a força necessária para os dias incertos. Afinal, quando estamos diante de tempos que incitam insegurança, qualquer elemento que ofereça confiabilidade e uma fundação sólida são acolhidos. A união das duas cores indica que há esperança, que podemos ser otimistas e devemos ser fortes diante das adversidades.

 

20 LOOKS dos anos 90 para usar HOJE

18.12.20 | Get Inspired By Moda


 

Cindy Crawford, Drew Barrymore, Winona Ryder, Kate Moss, Gwyneth Paltrow, Chloe Sevigny, Lady Di, Julia Roberts e Halle Berry são apenas alguns dos nomes das celebridades que marcaram os anos 90 tanto pelo seu trabalho, como por seu estilo. Naquela época nós não tínhamos tanto acesso às imagens dessas personalidades, que basicamente nos inspiravam através de imagens feitas por paparazzi e que iam parar em revistas de tiragem semanal ou programas de televisão que passavam apenas fora do País. Hoje, com um acesso mais amplo a imagens de diferentes períodos, fica bem mais fácil pesquisar essas referências de estilo e ligá-las aos dias atuais. Calças e jaquetas em jeans volumosos, coturnos, alfaiataria ampla e masculinizada, conjuntos esportivos, acessórios statement, jaquetas de couro, vestidos retos combinados com o clássico converse e os visuais mais tradicionais compostos de calças retas e camisas brancas são algumas das características visuais da época e que poderiam perfeitamente fazer parte de um closet dos dias atuais, não importa a idade de sua dona. Separamos 20 looks dessas fashionistas noventistas para inspirar uma produção despojada para os dias de hoje.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Caso você queira se aprofundar na estética dos anos 90, nós fizemos uma seleção de 12 filmes com foco na moda da época. Para conferir, clique aqui.

Por trás do estilo de KAMALA HARRIS

12.11.20 | Get Inspired By Lifestyle Moda


 

Kamala Harris é advogada, tem um currículo invejável, possui uma vida pública ilibada e recentemente foi eleita vice-presidente dos Estados Unidos. A primeira vice-presidente mulher e negra na história do País. Mas os motivos para a admirarmos não param por aí. Observando as aparições e os discursos potentes de Harris, podemos perceber também que ela desafia os velhos códigos do que se espera de uma imagem formal. Quando olhamos as mulheres do universo da política e dos cargos públicos, nos deparamos com figuras engessadas, tradicionais ao extremo e sem muita graça. Imagens assim passam uma sensação de distância e é justamente isso que Harris parece querer mudar. Afinal, servidores públicos, como o próprio nome sugere, estão em seus cargos para servir aos interesses do povo, portanto, a ideia de uma imagem fria e inacessível não parece ser coerente com o trabalho.

 

 

 

Claro que certos códigos formais ainda são levados em conta nos momentos públicos. Afinal, estamos tratando de um dos cargos de maior importância do mundo. Mas para Harris, importante não significa inalcançável. A imagem da vice-presidente, com sua alfaiataria simples, peças de cunho mais casual, como jaquetas e calças jeans, parkas utilitárias, camisas amplas e um bom e velho Converse fechando a produção junto com um sorriso acolhedor, nos passa uma sensação confortável de alcance e de familiaridade. E, se as pessoas se identificam de alguma forma com uma figura pública, com uma marca, com uma empresa etc., as chances de sucesso e aprovação são maiores. Existe também o fato do governo anterior. Sem entrar no mérito de questões políticas, o republicano Donald Trump junto com a primeira-dama Melania não faziam questão de ser muito simpáticos. A imagem do casal Trump era gélida, desprovida de carisma e por vezes polêmica. Harris, por sua vez, sabe do poder de um visual bem contruído, afinal roupa é também comunicação. A aparência da vice-presidente eleita emana a mensagem de novos tempos. Tempos que se distanciam dos preceitos do governo anterior e servem ao interesse da maioria.

 

 

 

A figura de Harris com sua casualidade sofisticada tem o poder de causar aproximação entre o povo e a política e de estreitar esse laço que por muito tempo se manteve desigual e afastado. Vice-presidente de uma das maiores potências mundiais, sim, mas com os pés no chão.

 

Primavera/verão 2021 | Butter Yellow

20.08.20 | Get Inspired By Tendências


 

O amarelo é um tom familiar para os looks das estações quentes e geralmente aparece em matizes mais vibrantes, que sugerem, segundo a psicologia das cores, motivação, alegria e estímulo da criatividade. Mas dessa vez o amarelo da próxima temporada acompanha as tonalidades que têm aparecido por conta do nosso atual cenário. Os neutros empoeirados – versões mais claras e suaves dos terrosos – tiveram ascensão durante a temporada outono/inverno, indicando que as tendências de cores se voltaram para causar sensações de tranquilidade e conforto. Seguindo esse movimento, temos o butter yellow. O amarelo com neutralidade de temperatura lembra mesmo a tonalidade suave da manteiga e também cria esse sentimento de bem-estar, de calma e de otimismo – mais ou menos as sensações que um amarelo mais vívido causaria, mas sem tanto estímulo. O impulso de sensações mais tranquilas através das cores não é em vão. Estamos vindo de um longo período de isolamento e certamente a nossa rotina nunca mais será a mesma. Gradualmente estamos voltando para as ruas, seja por necessidade profissional ou para lazer e isso, aliado às incertezas em relação ao futuro, pode causar certa ansiedade. Portanto, nos parece natural que os movimentos de moda (o que inclui as tendências de cores), se voltem para o campo da serenidade e do aconchego.