S/S 2021 VII – Naked Look

30.10.20 | Look da Paula


 

Em alguns de nossos relatórios feitos no período de isolamento social, percebemos que as peças que sugerem a proteção do corpo ganharão cada vez mais espaço no mercado. Durante esta temporada, no entanto, notamos que essa necessidade de proteção ainda persiste, mas pode ser alcançada mesmo com a exibição deste corpo através, principalmente, da transparência. Vestidos longos, mangas compridas, golas altas, sobreposições e demais características que servem neste movimento de proteção corporal são misturadas com matérias-primas leves e cristalinas que permitem a revelação de uma boa parte da silhueta. Abrigada, porém à mostra, é a diretriz do movimento. Vamos pensar o quanto já andamos cobertos. Nossos rostos escondidos por máscaras, nossos corpos protegidos das baixas temperaturas e do contato físico em tempos de risco de contaminação, para as mulheres, a ideia do abrigo que as roupas mais modestas proporcionam contra um eventual cenário de assédio etc. Estas são apenas algumas situações que demandam uma silhueta mais protegida e é absolutamente normal que queiramos contorna-las, na medida do possível, seja em razão de temperaturas mais altas, de ocasiões que nos tentam a um estilo mais sensual, ou apenas para desafiar comportamentos machistas e ocupar espaços com nossos corpos à mostra. O movimento propõe driblar a proteção incondicional da silhueta através da transparência. Olhar o próximo e permitir ser olhado.

 

S/S 2021 VI – Phone Case

29.10.20 | Look da Paula


 

Nós falamos na semana passada a respeito do movimento das bolsas gigantescas, que sugere o alcance de tudo que for necessário para tocar a vida profissional e pessoal que andam cada vez mais juntas (caso tenha perdido, clique aqui). Em contrapartida, temos este movimento das bolsas que lembram as capas dos celulares. Seu tamanho diminuto e sua forma estruturada insinuam justamente o oposto: carregar somente o imprescindível. O próprio design da bolsa indica que o aparelho celular é um destes objetos imprescindíveis para o dia a dia. Tudo, afinal, pode ser revolvido através destes objetos e, mais uma vez, vida pessoal e profissional se aproximam ao limite de se fundirem. Perceba que, independente de você ser do time das bolsas giga ou daquelas que se assemelham à capa do celular, o resultado final será sempre o mesmo: ter ao alcance o que torna sua rotina mais coesa e organizada – seja através de uma troca de roupas com direito a mudança de maquiagem, ou apenas de um simples aparelho celular.

 

S/S 2021 V – Alfaiataria ampla

28.10.20 | Moda Semanas de Moda Tendências


 

Que o conforto foi uma das características de vestuário que mais ganhou protagonismo nos últimos tempos não há dúvidas. Com o período de confinamento e a vida profissional acontecendo de casa, não faria sentido que ao menos uma parte da composição visual não prezasse pelo conforto. A rotina, no entanto, está se normalizando aos poucos e o conforto ainda será um atributo essencial para a edição visual de muita gente, mas de uma forma alinhada com o que se espera de uma produção de atmosfera profissional, por mais informal que seja o ambiente de trabalho. Unindo o aconchego dos tecidos leves e dos volumes amplificados com a sofisticação inerente à alfaiataria, este movimento se enquadra perfeitamente no equilíbrio entre o desejo de liberdade de movimentos e a polidez contemporânea dos conjuntos femininos. As nuances de modernidade ficam por conta dos detalhes: cores delicadas, que sugerem calma e positividade e que geralmente não são usadas na alfaiataria, truques de styling marcantes, materiais nobres de textura reluzente, assimetria etc.

 

S/S 2021 IV – Bright Yellow

27.10.20 | Moda Semanas de Moda Tendências


 

O amarelo é uma cor que muita gente ainda evita em peças de composição principal do look, ainda preferindo apostar em acessórios, bolsas e sapatos no tom. Mas a cor vem sendo vista em diversas variações já há algumas temporadas. Durante as estações mais amenas, o mostarda costuma aparecer mais e na temporada de calor, os tons mais claros do amarelo é que ganham protagonismo, a exemplo da variação que chamamos de butter e se trata de um movimento para o verão 2020/21. Mas para a próxima temporada primavera/verão (aqui no hemisfério sul, em 2022) tons mais vibrantes do amarelo aparecerão não apenas nos detalhes do look, mas nele todo. Seja em peças únicas, como vestidos e macacões, ou conjuntos inteiros e compostos por mais de três peças, o amarelo mais brilhante chega para sugerir otimismo, esperança e energia para seguir em frente – mensagens mais do que bem-vindas para o nosso período.

 

S/S 2021 report III – Engajamento

26.10.20 | Moda Semanas de Moda Tendências


 

Um dos principais papeis da moda é refletir o espírito de seu tempo. Portanto, é muito difícil que uma marca que leve essas funções sociais da moda a sério não adeque sua coleção à atmosfera dos acontecimentos. No hemisfério norte temos alguns eventos políticos (a exemplo das eleições dos Estados Unidos) que definirão muitas coisas importantes dependendo do resultado. Convidar o consumidor a refletir sobre o futuro politico de seu País e do mundo, por consequência, é apenas uma das formas de engajamento que encontramos nos desfiles e apresentações recentes, que se valeram de frases ou palavras de efeito para cumprir o papel. Além da conscientização política, palavras de otimismo também são importantes para o momento de inseguranças que vivemos, afinal, moda também é escapismo e inspiração pelo belo.

 

S/S 2021 report II – A vida à tiracolo

23.10.20 | Moda Semanas de Moda Tendências


 

Cada vez mais a nossa vida precisa estar conectada. Com a tecnologia fica quase impossível dissociar a vida pessoal da profissional e com as flexibilizações em relação aos locais de trabalho, horários, dress code etc., essa relação fica cada vez mais estreita. Talvez esse seja um dos motivos para que as bolsas da temporada spring 2021 aparecessem em suas formas mais superlativas. Mudanças climáticas, compromissos surpresa e a possibilidade de emendar o trabalho com o lazer são algumas das situações que pedem maior atenção com o que levamos na bolsa, requerendo, portanto, um modelo que se adapte a essa rotina mais agitada, especialmente quando tivermos total liberdade de sair de casa.

 

S/S 2021 report I – Branco Utilitário

22.10.20 | Moda Semanas de Moda Tendências


 

Quem nos acompanha há algum tempo já sabe que um dos trabalhos do escritório é elaborar relatórios antecipando os movimentos da moda para as próximas estações. É um serviço complexo, que requer bom olhar, sensibilidade, conhecimento de moda e informação sobre assuntos gerais, até para que possamos detectar o movimento e entender porque ele está acontecendo. Durante essa semana e a próxima nós vamos dar uma amostra de como funciona esse trabalho aqui no escritório e vamos fornecer um pequeno dossiê das microtendências que observamos durante esta última semana de moda. Vamos começar com o movimento BRANCO UTILITÁRIO. Quando pensamos em um visual composto apenas de peças brancas geralmente lembramos da alfaiataria de qualidade dos ternos femininos, do caimento impecável que sempre é requerido nos manuais mais antigos de como usar branco dos pés à cabeça e dos looks infalíveis e sofisticados de verão com peças amplas e fluídas. Quando tratamos de itens ligados ao movimento do utilitarismo – que anda tão em alta já há algum tempo mas principalmente agora neste momento pandêmico – é normal que nos venha a cabeça os tons ligados a estas roupas e acessórios que têm esse mood, como os cáquis, verde-oliva, terrosos, mostarda, acinzentados etc. Mas o que vimos nesta última temporada de desfiles é que o utilitário, geralmente de atmosfera mais densa por conta dos detalhes, ganha suavidade e uma dose minimalista com o branco. As roupas versáteis e que podem sofrer modificações através de bolsos, zíperes, botões, fitas, fivelas e que possuem essa aura aventureira e por vezes militarizada avançam alguns degraus na sofisticação com a adição do branco. Já falamos por diversas vezes aqui que as peças que promovem uma junção de performance e conforto ganharão cada vez mais atenção das marcas e dos consumidores por conta do nosso momento atual, portanto, esse movimento se mostra pertinente pelo design e essência, mas também bem-vindo pela beleza e pelo refinamento que o branco proporciona.

 

SPRING 21 – A água é a inspiração principal da temporada

16.10.20 | Moda Semanas de Moda Tendências


 

Quietude, liberdade, tranquilidade, renascimento, renovação e purificação. Com certeza estas são algumas das palavras que associamos às águas, especialmente a chuva e o mar. São sensações e sentimentos muito bem-vindos para o nosso atual momento e a moda, como captadora do espírito dos tempos, não poderia ter fornecido movimento mais certeiro que este. A água, seja através de suas lendas, cores, ecossistema, economia ou emoções serviu de referência para diversas coleções nesta temporada spring 2021 que sugerem, acima de tudo, renovação das nossas esperanças e renascimento através de momentos mais dolorosos. Tudo vai passar, mas nada será como antes é a mensagem principal do movimento, que traz consigo diversas microtendências que analisamos a seguir.

 


SPRING 21 – 3 os itens essenciais do outono segundo o street style da PFW

15.10.20 | Moda Street Style


 

O street style da temporada spring/summer serve de termômetro para as tendências do outono/inverno seguinte, já que essas semanas de moda ocorrem no começo destas estações no hemisfério norte. Como essa temporada de desfiles foi atípica por conta da pandemia, somente Milão e Paris nos deram um conteúdo mais rico em termos de street style e, mesmo assim, este último destino ainda se mostrou mais interessante e badalado que o primeiro, que contou com mais apresentações virtuais e sem plateia. Das frequentadoras dos desfiles parisienses retiramos algumas peças que podem funcionar por aqui justamente porque nosso inverno não é tão rigoroso e os dias mais próximos da primavera por lá também não são tão frios. Os itens de complementação – que são os casacos, jaquetas, coletes etc. – se mostram indispensáveis tanto para enriquecer o visual quanto para a proteção térmica naqueles dias de meia-estação que não pedem peças mais robustas. Dentre os inúmeros looks notamos três dessas peças de complementação que se mostraram mais presentes no visual das frequentadoras da Paris Fashion Week que você vê a seguir.

 

 

O blazer é uma peça clássica e que deixa qualquer visual mais sofisticado, mas a peça que apareceu pelas ruas da PFW adiciona uma dose extra de riqueza visual e criatividade ao look. Com volume, texturas densas e estamparia vintage, o blazer mais cool do outono parece ter saído diretamente de um brechó.

 


 

 

 

 

O trench-coat é outro item indispensável das produções de meia-estação, mas aqui ele fica ainda mais interessante por conta das formas amplas que trazem dramaticidade ao look. Peças oversized em geral adicionam uma elegância não óbvia ao visual e para quem acha que o trench é muito tradicional, sua versão mais volumosa é a solução para adicionar contemporaneidade ao look.

 


 

 

 

 

Quando falamos em terceira peça de couro geralmente pensamos nas jaquetas, mas no street style da PFW o blazer feito do material é que tomou as ruas nessa temporada. O blazer já é um item que traz sofisticação ao visual e os feitos de couro ou material similar injetam ainda mais elegância ao resultado final do look. Justamente por ser de um material mais robusto ele traz uma estrutura mais definida à silhueta e essa ideia de rigidez e formas demarcadas é que eleva o nível de elegância do visual.

 


 

 

PFW spring 21 | Nossas análises dos últimos desfiles da semana de moda parisiense

09.10.20 | Moda Semanas de Moda


 

Chegamos ao fim de mais uma temporada de moda com apresentações importantes . É certo que o desfalque de nomes que amamos fizeram com que estas fashion weeks ficassem um pouco menos efervescentes, mas ao mesmo tempo o período pede esse recolhimento. Nas apresentações que fecharam a semana de moda de Paris, tivemos movimentos voltados para uma clientela mais jovem, com marcas como Miu Miu e Giambattista Valli propondo um visual delicado, atemporal e ao mesmo tempo contemporâneo pelos toques esportivos e com certo apelo de sensualidade nos detalhes. Já as marcas mais tradicionais continuam com sua identidade bem marcante, como no caso da Louis Vuitton que, com o design próprio do trabalho de Nicolas Ghesquiere, explorou a discussão sobre as roupas sem gênero definido através de uma alfaiataria ampla e sofisticada inspirada no clássico filme de 1982, Wings of Desire. Aliás, o cinema também serviu de pano de fundo para a coleção da Chanel de Virginie Viard que, sempre com um nível polido e elevado em suas criações, materializou a influencia que Gabrielle Chanel exerceu sobre as atrizes ao longo dos anos de existência de sua marca.